Precisamos limpar as compras? Saiba como evitar as novas variantes da covid-19

O hábito de limpar as compras e desinfetar ambientes se popularizou. No entanto, a era do que ficou conhecido como “teatro da higiene” parece estar chegando ao fim

Resumo da Notícia

  • No começo da pandemia da covid-19 pesquisadores apontaram que o vírus podia sobreviver em superfícies plásticas ou aço inoxidável
  • Com isso criamos o hábito de limpar todas as compras e desinfetar ambientes
  • No entanto, a chance de contrair o novo coronavírus dessa maneira é pequena

No começo da pandemia da covid-19 pesquisadores apontaram que o vírus podia sobreviver em superfícies plásticas ou aço inoxidável e alertaram que se alguém tocasse uma superfície contaminada e então levasse as mãos aos olhos, nariz ou boca poderia se contaminar. O hábito de limpar as compras e desinfetar ambientes se popularizou. No entanto, a era do que ficou conhecido como “teatro da higiene” parece estar chegando ao fim.

-Publicidade-

Na última semana, segundo o Extra, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos ,atualizaram as diretrizes sobre a higiene de superfícies, tendo em vista que o risco de contrair o coronavírus ao tocar em um lugar contaminado era inferior a 1 em 10 mil. A nova orientação redireciona a importância que tem sido dada para essas medidas em comparação com outros cuidados, como distanciamento, uso de máscaras e ventilação de ambientes.

Em entrevista ao New York Times, a diretora dos CDC, Rochelle Walensky disse: “As pessoas podem pegar o vírus causador da covid-19 por meio do contato com superfícies e objetos contaminados. No entanto, os testes mostraram que o risco de transmissão por esta rota é muito baixo”.

O principal é respeitar o isolamento social, ventilar ambientes e passar bastante álcool em gel (Photo by Bruna Prado/Getty Images)

Os cientistas já estavam esperando há muito tempo esse reconhecimento: “Mas as pessoas continuam a se concentrar muito na limpeza de superfícies. Não há evidências de que alguém pegou covid-19 ao tocar em uma superfície contaminada. Nós estamos mais familiarizados com a limpeza de superfícies, você pode ver as pessoas fazendo isso e a superfície limpa, acho que por isso as pessoas se sentem mais seguras” explica Linsey Marr, especialista em vírus aerotransportado do Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia.

O físico Vitor Mori, pesquisador da Universidade de Vermont e membro do Observatório Covid-19 BR, considera que o maior erro na condução da pandemia ao redor do mundo foi a má compreensão sobre a forma como o vírus é transmitido, o que levou à adoção de protocolos pouco eficientes para combater o contágio.

O risco de pegar a covid-19 em superfícies é baixo (Foto: Getty Images)

“Ainda hoje, com evidências robustas de que a transmissão pelo ar é a via mais importante, vemos cidades direcionando muitos recursos para desinfecção das ruas, ou a permissão para locais fechados e mal ventilados funcionarem só medindo temperatura e oferecendo álcool em gel. É urgente compreender como o vírus é transmitido e quais as implicações disso na forma como temos que nos prevenir”, explica Mori.

Ele explica que a transmissão pelo ar é muito mais preocupante e difícil de ser combatida, mas isso não justifica que as medidas adequadas não sejam tomadas, avalia. Dessa forma, medidas como lavar as compras feitas no mercado ou desinfetar sapatos e objetos não são efetivas contra a covid-19 e outros cuidados devem ser priorizados. “O grande risco não são os objetos, são as pessoas que carregam e transmitem o vírus para outras”.