Prefeitura de São Paulo adia Carnaval 2021: saiba o que irá mudar

Mudança afeta desfiles de escola de samba e o carnaval de rua. Outros eventos, como a Marcha para Jesus e a Parada do Orgulho LGBT+, também foram cancelados

Resumo da Notícia

  • Prefeitura de São Paulo decidiu adiar o carnaval de rua e os desfiles das escolas de samba de 2021
  • A nova data ainda não foi definida
  • As medias são para ajudar no combate do novo coronavírus

Nesta sexta-feira,  24 de julho, a Prefeitura de São Paulo decidiu adiar o carnaval de rua e os desfiles das escolas de samba de 2021 devido à pandemia do coronavírus. O prefeito Bruno Covas fez o anúncio que os blocos de rua e os desfiles das escolas de samba deverão acontecer apenas em maio ou julho, mas ainda não há datas definidas.

-Publicidade-
João Dória anunciou as novas medidas para o Estado de São Paulo (Foto: reprodução / vídeo)

Na semana passada, Covas já havia suspendido as celebrações do Réveillon na Avenida Paulista, também por causa da doença. Outros eventos, como a Marcha para Jesus e a Parada do Orgulho LGBT+, também foram cancelados. A Marcha havia sido adiada para novembro, mas segundo Covas os organizadores desistiram da ideia.

Covas fez o anúncio no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, ao lado do governador João Doria (PSDB), enquanto os dois conduziam uma entrevista coletiva para dar informes sobre a situação da pandemia no Estado. “Apesar de a cidade sempre estar evoluindo no Plano São Paulo, ainda estamos enfrentando a pandemia”, disse Covas. “Tanto as escolas de samba quanto os blocos carnavalescos entenderam a inviabilidade da realização do Carnaval em fevereiro”, disse o prefeito.

-Publicidade-

Em São Paulo o Carnaval atrai milhares de pessoas, sendo um dos maiores do país. Neste ano, cidade bateu recorde de público e do número de blocos: foram mais de 15 milhões de foliões nas ruas e 600 blocos. A prefeitura gastou R$ 36,6 milhões, e houve um retorno financeiro de R$ 2,3 bilhões para a cidade.

Carnaval em outros locais

Já em Salvador, o prefeito também estuda adiar o carnaval para julho. No Rio de Janeiro, as escolas esperam tomar uma decisão em setembro sobre a data dos desfiles. Representantes das agremiações e da Liesa alegam que sem vacina contra a Covid-19 é impossível realizar o espetáculo em segurança.

-Publicidade-