Previdência infantil: saiba quais pontos considerar e a importância dela para seu filho

É preciso planejar o futuro das crianças desde já e essa é uma ótima ferramenta para garantir a segurança financeira, além de ensinar os pequenos sobre a necessidade de poupar

Resumo da Notícia

  • Saiba tudo sobre previdência infantil
  • Veja quais pontos considerar na hora de criar uma para o seu filho e como mantê-la
  • Os benefícios desta prática podem ser vistos no presente e futuro das crianças

O mundo mudou e a forma de enxergar o presente e o futuro também. Se em 2000, de acordo com o IBGE, a expectativa média de vida entre homens e mulheres no Brasil era de 69,8 anos, um estudo sugere que o ser humano conseguirá viver até os 130 anos, ou mais, até o final deste século. Foram analisadas informações principalmente de uma pesquisa com pessoas supercentenárias, com 110 anos ou mais, e semissupercentárias, com 105 ou mais. De acordo com a publicação feita pelo Jornal Open Science, da Royal Society, essa estimativa seria possível por conta do desenvolvimento da medicina e no campo socioeconômico.

-Publicidade-
Além de trazer segurança para seu filho, a previdência infantil é uma forma de ensinar educação financeira
Além de trazer segurança para seu filho, a previdência infantil é uma forma de ensinar educação financeira (Foto: Getty Images)

Nesse sentido, começar a planejar e organizar a questão financeira do seu filho o quanto antes é fundamental para garantir estabilidade lá na frente. Então ensinar educação financeira, o valor do dinheiro e até mesmo formas de poupar podem ser atividades introduzidas na rotina para que aos poucos a criança possa entender essa necessidade e seguir o exemplo. Outra medida interessante é a criação de uma previdência infantil, ou seja, um plano pensado para elas com o objetivo de formar uma reserva financeira para a realização de sonhos futuros.

Segundo Sandro Bonfim, superintendente de Produtos da Brasilprev, pai de Lucca e André, “o Brasilprev Júnior (produto oferecido por eles) transformou-se em uma ferramenta eficaz para apoiar as famílias na formação de reservas para custear projetos de filhos, sobrinhos e netos – principalmente relacionados à educação, como um curso técnico, de idiomas, ou formação superior”, até mesmo para uma grande viagem, um intercâmbio, ou mesmo a abertura do próprio negócio. Assim, as famílias podem ir construindo essa base, definindo metas e acompanhando a evolução do saldo.

Isso será motivador inclusive para a criança que poderá acompanhar esse desenvolvimento também. Uma opção, por exemplo, é em vez de depositar um valor na mesada do seu filho, dividi-lo e colocar uma parte na previdência, explicando as razões desta escolha. “Ao final do período de acumulação, no momento da utilização dos recursos, esse jovem já saberá da importância em se fazer um planejamento para realizar outros desejos e sonhos”, defende Sandro.

Uma coisa por vez

Imprevistos podem acontecer, porém, Marcelo Rosseti, Superintendente Executivo da Bradesco Vida e Previdência, pai de Rebeca e Monique, entende a previdência como uma ferramenta importante para garantir o suprimento de necessidades previsíveis. Para ele, é preciso seguir três passos para criar a sua: “O primeiro é estabelecer o propósito da construção da reserva. O segundo é avaliar o tipo de plano ao qual se deseja aderir (os fundos de renda fixa, por exemplo, estão menos expostos à volatilidade, já os fundos de ações e multimercados são opções mais arrojadas, mas, em contrapartida, podem apresentar melhores rentabilidades no longo prazo). O terceiro é definir o valor da contribuição, de acordo com o objetivo da família – existem duas modalidades: o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), sendo o primeiro indicado para quem faz a declaração completa de Imposto de Renda, e o segundo se destina a quem é isento de Imposto de Renda na fonte ou utiliza apenas a declaração simplificada”.

Oferecendo o “Prev Jovem Bradesco PGBL” como opção para as famílias, Marcelo reforça ainda a necessidade de um quarto passo: “É recomendável reavaliar seus objetivos periodicamente”, para checar se ainda faz sentido com o seu contexto. Rogerio Calabria, superintendente de Produtos de Investimento do Itaú Unibanco, pai de Graziela e Rafaela, conta que atualmente há mais de 50 produtos de previdência privada infantil disponíveis nas plataformas do Itaú e pontua: “É fundamental ter disciplina para realizar aportes periódicos para garantir a reserva financeira”, e dessa forma, você também passará esse hábito para os filhos.

É fundamental ensinar as crianças a importância de poupar para o futuro
É fundamental ensinar as crianças a importância de poupar para o futuro (Foto: Getty Images)

Assim, ele vê a previdência como um meio de ensinar educação financeira. “Por volta dos 7 ou 8 anos, é importante aproveitar para transmitir ensinamentos válidos para toda a vida sobre o tema. Mostrar que é possível construir, hoje, o futuro dela em relação a muitas conquistas e realizações”, acrescenta.

Bom para todos

A previdência é, sim, uma via de mão dupla. Carlos Eduardo Gondim, diretor de Vida e Previdência da Porto Seguro, pai de Daniel, explica: “Para os pais, é a tranquilidade de que, no futuro, os filhos terão uma segurança financeira e poderão investir no crescimento profissional, na realização de sonhos ou até mesmo na abertura de um negócio. Para os filhos, é um investimento para o futuro, pois é na vida adulta que os sonhos pesam mais no bolso”. Portanto, o especialista também destaca a necessidade de estar bem informado na hora de escolher o plano: “Neste momento o contratante pode contar com o apoio de um Corretor”.

Com opções de PGBL e VGBL, Carlos comenta que a Porto Seguro acredita que a melhor forma de ensinar para as crianças sobre educação financeira é por meio do exemplo. Os especialistas concordam que, ao longo dos últimos anos, criou-se uma consciência maior sobre a importância da poupança de longo prazo. Sandro Bonfim conta: “Durante a pandemia cresceu muito a procura por seguros, não apenas em planos júnior, mas por outros planos de previdência, seguros de vida. As pessoas perceberam a importância de estarem preparadas para momentos de dificuldades”, e enfatiza: “É importante sempre ter ciência dos objetivos que se quer atingir, o prazo que tem, o momento de vida e o perfil da família e da criança”.

João Batista Mendes Ângelo, diretor de Produtos da Zurich Santander, pai de Beatriz, Maria Leticia e Stella, diz que a empresa oferece a “Previdência Primeiros Passos” específica para o público infantil e afirma que o tempo é um grande aliado desta aplicação. “Para se ter uma ideia, ao completar 18 anos a criança pode retirar aproximadamente R$ 10 mil (valor equivalente a um curso de inglês até o nível intermediário), se contribuir mensalmente, por 18 anos, com R$ 35; por 10 anos, com R$ 72; e por 5 anos, com R$ 155. Contribuindo mensalmente com R$ 52 (por 18 anos), R$ 107 (por 10 anos), ou R$ 232 (por 5 anos), é possível retirar cerca de R$ 15 mil, valor equivalente a um curso técnico. Contribuições mensais de R$ 210, R$ 430, ou R$ 929, realizadas respectivamente por 18, 10 ou 5 anos, podem significar uma retirada de R$ 60 mil, valor que permite o pagamento de um curso de Graduação, um Intercâmbio ou o investimento num negócio para início da vida profissional”, esclarece. Carlos Eduardo Gondim finaliza: “É um investimento, afinal, o futuro está logo ali. É muito importante se planejar hoje para chegar bem ao amanhã”, que, quem sabe, pode até superar 130 anos de vida.