Primeiro programa de vacinação em massa no mundo acontece no interior de São Paulo

Governador do estado conta que Serrana vai ser a primeira cidade do mundo a imunizar todos os habitantes e as duas doses vão ser aplicadas

Resumo da Notícia

  • Moradores da cidade de Serrana vão receber as duas doses da vacina
  • 60 mil doses extras vão ser produzidas para o estudo
  • Instituto Butantã pesquisa controle de disseminação do vírus
  • Veja mais sobre o projeto de imunização em Serrana, interior de São Paulo

Nesta segunda-feira, 17 de fevereiro, o governo do Estado de São Paulo realizou uma coletiva de imprensa no início da tarde para falar sobre a volta às aulas e também sobre o plano de imunização no estado, além de um estudo realizado em Serrana, interior da cidade.

-Publicidade-

João Doria contou emocionado que essa é uma boa notícia e que precisa ser compartilhada, porque o Brasil será o primeiro país a realizar uma vacinação em massa. Segundo ele: “O estudo clínico da vacinação é iniciado hoje no estado de São Paulo, na cidade de Serrana, no interior de São Paulo e na região de Ribeirão Preto. Esse programa, é um teste inédito de vacinação em massa e é o primeiro lugar do mundo a ter o teste de vacinação em massa para imunizar toda a população da cidade. Ele é realizado pelo Instituto Butantã que completa 120 anos nesta semana.”

O programa

O Instituto Butantã oferece esse programa de imunização clinicamente e cientificamente, o intuito é vacinar cerca de 30 mil pessoas que habitam a cidade de Serrana e isso vai ser feito com as duas doses da vacina. Doria completa: “Quero deixar claro que estas são 60 mil doses, 30 mil mais 30 mil doses, não comprometem nenhuma vacina programada para o Ministério da Saúde”.

Ainda de acordo com o governador de São Paulo, as 100 milhões de doses vão ser entregues até agosto deste ano e esse número não está comprometido, já que a entrega será feita como foi combinada e as 60 mil doses do programa de imunização em massa foram produzidas apenas para esse estudo. Como os resultados de eficácia e da segurança da CoronaVac já foram comprovados, o que eles investigam agora é o controle da disseminação do vírus e a redução de contágio.