Príncipe Harry relembra maus-tratos na infância: “Quero quebrar o ciclo de violência”

Durante nova conversa, o Duque de Sussex contou sobre negligência da Família Real durante depressão da Duquesa de Sussex e que ela só desistiu do suicídio por não querer vê-lo perder outra mulher que ele ama

Resumo da Notícia

  • Em nova conversa  Harry afirmou que o sentimento de abandono foi um dos "maiores motivos" para que o casal se mudasse para Califórnia
  • Na conversa, Harry ainda disse que Meghan o contou que queria se matar, enquanto estava grávida de seis meses de Archie
  • Outra parte importante do porque ele "abandonou a realeza" foi o relacionamento conturbado com Charles, seu pai

Durante entrevista para o programa da Oprah, ‘The Me You Can’t See’ (em tradução literal para o português, ‘O Eu que Você Não Vê’). Harry afirmou que o sentimento de abandono foi um dos “maiores motivos” para que o casal se mudasse para Califórnia no ano passado.

-Publicidade-

“Certamente agora eu nunca vou ser intimidado até ficar em silêncio. Achei que minha família iria ajudar, mas cada pedido, aviso, seja o que for, acabou encontrando silêncio total, abandono total. Passamos quatro anos tentando fazer funcionar. Fizemos tudo o que podíamos para ficar lá e continuar fazendo o papel e fazendo o trabalho. Mas Meghan estava lutando”, explicou o filho caçula do relacionamento de Charles e Princesa Diana em nova declaração.

Príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle (Foto: Getty Images)

“Eu tinha a sensação de estar preso dentro da minha família, como se não houvesse opção de sair. Eventualmente, quando eu tomei essa decisão [de abandonar a realeza], me disseram: ‘Você não pode fazer isso'”. Como resposta ele pensou: “‘O quão ruim a situação teria que ficar para eu poder fazer isso?’. Ela [Meghan] iria acabar com sua vida. Não deveria ter que chegar nesse nível”, adicionou.

Outra parte importante do porque ele “abandonou a realeza” foi o relacionamento conturbado com Charles. Harry ainda criticou o método de educação da Família Real. “Meu pai costumava dizer para mim e Willian quando éramos mais jovens: ‘Bem, foi assim para mim, então vai ser assim para vocês’. Isso não faz sentido. Só porque você sofreu, isso não significa que seus filhos tenham que sofrer. Na verdade, muito pelo contrário. Se você sofreu, faça tudo que puder para ter certeza de que quaisquer experiências negativas que você teve, você pode consertar para seus filhos”, disse.

Na conversa, Harry ainda disse que Meghan o contou que queria se matar, enquanto estava grávida de seis meses de Archie, à caminho da casa de espetáculos Royal Albert Hall, em Londres, em janeiro de 2019.  Ela teria até pensado com como acabar com a própria vida.

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

Morte da Princesa Diana

Toda a situação lembrou o Duque de Sussex de uma coisa: as últimas semanas de vida da mãe, Princesa Diana, em 1997 (lembrando que tudo aconteceu quando ele tinha apenas 13 anos). “Meghan decidiu compartilhar comigo os pensamentos suicidas e os aspectos práticos de como ela iria acabar com sua vida”, contou, que ainda revelou que a esposa desistiu do ato porque ela não queria que Harry perdesse “outra mulher em sua vida”.

“Minha mãe foi perseguida até a morte enquanto mantinha um relacionamento com alguém que não era branco. E agora veja o que aconteceu. E tudo volta para as mesmas pessoas, o mesmo modelo de negócios, o mesmo setor”, contou. “Eles não vão parar até que ela morra”, continuou Harry, que não especifica quem ou o que seria essa ameaça, mas especula-se que ele esteja falando da cobertura da mídia.

Príncipe Harry conta motivo por trás morte de Diana (Foto: Getty Images)

Harry também contou que, aos 30 anos, abusou do consumo de álcool e de drogas para lidar com a morte da mãe, dizendo que estar em Londres é um “gatilho” para sua “ansiedade”, e que ainda é assombrado pelo barulho de cascos de cavalo batendo no chão, que o fazem lembrar do dia do funeral de Diana, quando o caixão dela passou por sua frente no cortejo fúnebre.