Professor é acusado de abusar de alunas por ao menos 14 anos

Leonardo Ávilla dá aulas de paleontologia pela Universidade Federal do Estado do Rio. Foram diversas denúncias sobre o caso datadas desde 2007

Resumo da Notícia

  • Um professor universitário foi acusado de abusar das alunas por ao menos 14 anos
  • Leonardo Ávilla dá aulas de paleontologia pela Universidade Federal do Estado do Rio
  • Por lá, foram denúncias de situações de abuso datadas de 2007

Um professor universitário está sendo acusado de abusar sexualmente de alunas durante, ao menos, 14 anos. Leonardo Ávilla dá aulas de Paleontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – e, por lá, acumula denúncias de casos que vem ocorrendo desde 2007.

-Publicidade-

Leonardo é coordenador do setor da instituição que estuda mamíferos extintos. Os casos vieram à tona após a publicação de um também paleontólogo – desta vez, pela Universidade Federal da Bahia – publicar um relato de assédio que ouviu de outra aluna, sem expor o nome do professor.

Leonardo vem assediando alunas há 14 anos
Leonardo vem assediando alunas há 14 anos (Foto: Reprodução/ Fantástico)

Diante da cena, o jornalista estadunidense Michael Balter, que expõe casos de assédio no ramo científico, leu o relato e divulgou nome de Leonardo, incentivando a denúncia dos casos de abuso cometidos contra outras alunas. O Fantástico reuniu alguns depoimentos de mulheres abusadas.

“Ele se aproximou de mim e disse que estava excitado, me pressionou contra a parede”, contou uma estudante, que não se identificou. Outra ainda declarou, “Ele pegou a minha mão para colocar no órgão dele”.

A UniRio se pronunciou sobre o caso, e admitiu que repudia qualquer tipo de assédio. A instituição ainda abriu um processo formal contra o professor após denúncia dos estudantes de biologia. Mesmo assim, a universidade não confirmou se irá ou não afastar Leonardo Ávilla.