Professora “adota” recém-nascido de família desconhecida após todos testarem positivo para coronavírus

A brasileira Luciana Lira da escola Hart Magnet Elementary School em Stamford, nos Estados Unidos, não pensou duas vezes em cuidar do irmão mais novo de um dos alunos quando a família precisou de ajuda

Resumo da Notícia

  • A professora brasileira Luciana Lira, 32 anos, da escola Hart Magnet Elementary School em Stamford
  • Toda a família testou positivo para o novo coronavírus
  • Neysel nasceu no dia 4 de abril e Luciana e seu marido estão cuidando dele desde então
Professora brasileira Luciana Lira com Neysel, com um mês de vida (Foto: Reprodução/ Vídeo)

A professora brasileira Luciana Lira da escola Hart Magnet Elementary School em Stamford, em Connecticut, nos Estados Unidos, não pensou duas vezes em cuidar do irmão mais novo do aluno Junior, de 7 anos, que teve a família inteira infectada pelo coronavírus.

-Publicidade-

Zully, a mãe de Junior, é da Guatemala e como não tem família próximo, não tinha com quem deixar o filho para protegê-lo, já que todos testaram positivo para a doença. Ela fez o teste antes mesmo do bebê nascer, a criança nasceu livre do coronavírus, mas Zully ficou entre a vida e a morte.

Cinco dias após o nascimento, Neysel teve alta. Não podia ficar mais na maternidade. O pai do bebê, que estava com suspeita da doença, não podia chegar perto do filho. Na época ele ainda precisava fazer o teste, mas corria muito risco de estar contaminado.

-Publicidade-
Neysel, tem apenas um mês de vida (Foto: Reprodução/ Vídeo)

Então o pai perguntou se Luciana poderia cuidar do recém-nascido do casal até que todos se recuperassem, inclusive a mãe que ainda estava na UTI. Neysel nasceu no dia 4 de abril e Luciana e seu marido estão cuidando dele desde então. Zully ficou em estado grave e precisou do respirador após o parto, mas, felizmente, já conseguiu se curar do coronavírus e recebeu alta do hospital no dia 24 de abril.

A família têm visto o recém-nascido por meio de vídeo chamadas, pois ainda não pode levar o bebê para casa. Eles precisam esperar que todos se curem da covid-19.

A família vê o bebê todos os dias por chamada de vídeo (Foto: Reprodução/ Vídeo)

Luciana fez uma festa de um mês de vida do Neysel, no último sábado, 2 de abril, com direito a bolo, doado por desconhecidos, muito amor e família reunida. Pra Zully, pro Marvin e pro Júnior, a comemoração ainda é à distância.

Em entrevista ao Fantástico, a professora deixa um recado importante: “Tenha coragem ajude com o pouco que você tem. O que pra você é pouco, pro outro pode ser muito. Pode ser o suficiente. Pode ser tudo o que eles estão precisando pra passar aquele dia”, aconselhou.

-Publicidade-