Professora celebra aprovação de alunos na faculdade e a empolgação dela é muito contagiante

Florência Pinto viralizou na internet ao aparecer em vídeo vibrando pela conquista dos alunos da rede pública de ensino do Pará

Resumo da Notícia

  • Uma professora emocionou milhares de pessoas na internet
  • Flor Pinto vibrou apareceu em vídeo vibrando a aprovação dos alunos
  • A docente comentou sobre a repercussão do vídeo e ressaltou a importância da educação

Que cena linda! Florência Pinto, conhecida carinhosamente como Flor, emocionou milhares de pessoas na internet ao comemorar intensamente a aprovação de seus alunos no vestibular da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

-Publicidade-

No vídeo que viralizou no último fim de semana, a professora que atua tanto na rede pública quanto na privada, na pequena cidade de Canaã dos Carajás, aparece pulando, gritando e chorando movida pela emoção do momento. “Meus alunos estão passando na UNIFESSPA! É escola pública, amiga! Só a gente sabe!”, celebrou Florência Pinto.

Ao Correio Braziliense, a docente defendeu o “mico” de vibrar pela aprovação dos estudantes. “Se esse vídeo alcançou um professor para ele ser resistência do sistema, no fazer pedagógico dele, valeu a pena o mico. Se esse vídeo serviu para os alunos, ex-alunos, respeitarem e valorizarem ainda mais, seguirem o ciclo de respeito dos seus professores, que aprendeu com seus professores. Se serviu para inspirar outras pessoas a buscarem a universidade, acreditar na educação pública, valeu a pena o mico”, afirma.

Florência Pinto contou ainda sobre os desafios da pandemia para a educação. Emocionada e com a voz entalada de choro, ela relembrou o momento difícil enfrentado pelos alunos durante o período de aula on-line “Nesse início de ano, em um momento que eu estava tão triste, diante dos desafios, porque a gente vem de um período de aula on-line, nossos alunos desaparecendo. Aí nossa escola, junto à coordenadora pedagógica e todos outros professores, montamos os aulões e os meninos foram lá e participaram de todos”.

“Aquele momento foi um turbilhão, foi o momento de dizer, ‘vale a pena ser professor’ nesse país com tanta desgraça, tão arrasados como está a educação. E para mim, é o resultado de que todo esforço vale a pena. E eu choro com eles, vibro com eles. Gritei muito, chamei um monte de palavrão, pulei”, relembrou. “Sigo a docência porque eu acredito que a educação é o único caminho, foi ela que mudou a minha vida, que me tirou lá do interiorzinho do Maranhão, da pobreza, da roça, para estar hoje aqui, com uma vida confortável.”