Professora encontra maneira de continuar as aulas a distância sem usar internet

Miriam Mabel Lera leciona em uma cidade muito pequena e predominantemente rural, onde muitos alunos não tem acesso a computadores. Para continuar com o cronograma letivo e atingir a todos, ela se reinventou

Resumo da Notícia

  • Professora cria forma de manter as aulas a distância sem precisar da internet
  • Ela precisou se reinventar por viver em uma cidade muito pequena e rural, onde muitos não tem acesso a computadores
  • A forma encontrada por ela fez com que todos tivessem acesso às aulas
  • Veja o que ela fez
Professora usa rádio para dar aulas (Foto: reprodução Facebook)

Devido a pandemia de coronavírus, grande parte das escolas e universidades ao redor do mundo precisaram fechar as portas para as aulas presenciais e se readaptar da forma que conseguirem para o universo digital. Além de todas as questões relacionadas ao nível de aprendizado, a aula online traz uma outra grande questão: e as crianças que não tem acesso à internet, como ficam?

Para ajudar os alunos que não conseguem acompanhar as aulas online, a professora argentina Miriam Mabel Lera inovou e começou a usar uma rádio universitária para lecionar. As aulas da escola onde ela trabalha foram canceladas e, como ela vive em uma cidade tipicamente rural, onde muitos não tem acesso à internet, precisou se reinventar.

“Quando a quarentena começou, como todos os professores do país, fomos deixados para ver como manteríamos o vínculo com as crianças. Não escolhi o WhatsApp porque sei qual é a realidade dos meninos, conhecemos as famílias e as condições em que vivem, por isso não foi fácil para mim fazer aula em vídeo para eles baixarem, sei que eles não têm celular”, contou ao site local Nation .

“Eu disse ao chefe da comunidade que gostaria de ensinar através da rádio, que a maioria tem acesso. Notifiquei os pais e começamos os primeiros dias de abril e felizmente deu tudo certo. Falo com as crianças e as famílias como se estivessem olhando para mim, também dou a elas brincadeiras com a música que eles gostam”, finalizou.