Professora que não se vacinou infecta mais da metade dos alunos com covid-19

A professora foi ao trabalho mesmo com sintomas da covid-19 e tirou a máscara em sala de aula para ler para os alunos. A turma tinha 22 estudantes. Ao todo, 12 foram infectados

Resumo da Notícia

  • Uma professora do ensino fundamental de uma escola na Califórnia, nos Estados Unidos que não se vacinou acabou infectando mais da metade dos alunos em sala de aula
  • A professora foi ao trabalho mesmo com sintomas da covid-19 e tirou a máscara em sala de aula para ler para os alunos
  • A turma tinha 22 estudantes. Ao todo, 12 foram infectados, incluindo oito dos 10 alunos que sentavam nas duas primeiras fileiras

Uma professora do ensino fundamental de uma escola na Califórnia, nos Estados Unidos que não se vacinou acabou infectando mais da metade dos alunos em sala de aula — que infectaram outros alunos, familiares e pessoas da região. O caso ocorreu em maio deste ano e foi confirmado na última sexta-feira, 27 de agosto, por órgãos oficiais de saúde californianos.

-Publicidade-

A professora foi ao trabalho mesmo com sintomas da covid-19 e tirou a máscara em sala de aula para ler para os alunos, de acordo com as informações enviadas para o CDC por um time de saúde pública. Ela achou que os sintomas indicavam uma alergia, não uma infecção, segundo uma investigação. A turma tinha 22 estudantes. Ao todo, 12 foram infectados, incluindo oito dos 10 alunos que sentavam nas duas primeiras fileiras.

(Foto: Getty Images)

O caso aconteceu apesar das várias medidas que buscam prevenir a transmissão do coronavírus. “A escola exigiu que professores e estudantes usassem máscaras dentro das salas, e entrevistas com os pais dos alunos infectados sugeriram que a adesão dos alunos ao uso de máscara e às medidas de distanciamento do CDC era alta. Entretanto, a professora tirou a máscara em algumas ocasiões quando lia em voz alta para a turma”, diz o comunicado. “Ao longo desse período, todas as mesas tinham uma distância de quase 2 metros”, informou. “Todas as salas de aula tinham filtros de ar portáteis de alta eficiência, e as janelas foram deixadas abertas”.

Foram contabilizadas 27 infecções por coronavírus, incluindo a professora. Nenhuma ficou seriamente doente e todas se recuperaram. Os casos que foram analisados envolveram a variante Delta, apear dos pesquisadores terem dito que eles não conseguiram testar todos que foram infectados.

(Foto: Getty Images)

O CDC disse ainda que é importante que os adultos estejam vacinados para proteger as crianças, visto que as menores de 12 anos não podem ser imunizadas contra a covid-19. O CDC também o caso como um exemplo de como as escolas precisam seguir todas as recomendações se quiserem proteger os estudantes e funcionários. “Nós sabemos como proteger nossas crianças na escola. Nós temos as ferramentas”. As recomendações para escolas incluem a vacinação como medida número um para proteger a todos. “A vacinação é a principal estratégia de saúde pública para acabar com a pandemia de Covid-19. Promover a vacinação pode ajudar as escolas a retomar o aprendizado presencial de forma segura, assim como atividades extracurriculares e esportes”, diz o órgão.

A doutora Lisa Santora, vice oficial de saúde do condado, disse que oficiais estão pedindo para que os professores se vacinem desde janeiro, mas que muitos ainda não se vacinaram. “Nós vimos em primeira mão que não foram as crianças que deixaram os professores doentes. Foi o contrário”, disse Santora para a CNN.