Família

Professora recebe punição de prefeito após amarrar aluno com deficiência na cadeira da escola

O menino tinha apenas dois anos

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Professora que amarrou aluno cadeira foi afastada (Foto: iStock)

Uma professora, no interior de Cascavel, Paraná, foi denunciada por uma mãe por amarrar um aluno na carteira da escola. Segundo a mãe que prestou queixa na última segunda-feira, 08, o menino tem uma deficiência e a professora teria feito isso porque o garoto estava se recusando a sentar.

Gisele de Lima Ravagnolli, a mãe do menino, disse à RPC que ficou sabendo disso em uma reunião de pais e depois conversou com o filho, de apenas dois anos: “Eu não entendia o por que ele não queria sentar. Eu perguntei pra ele hoje de manhã, falei: ‘onde que a professora amarrou, filho?’ Ele mostrou as perninhas.”

Segundo a RPC, a mãe foi avisada por uma outra professora da instituição, a CMEI Professora Gracinda Rosa e a Secretaria de Educação conversou com alunos e funcionários da creche e a diretora, Viviane Teixeira de Camargo, falou que a professora estava apenas seguindo um procedimento padrão de segurança:

“A professora utilizou essa fraldinha, que é bem macia, na linha da cintura com uma cadeirinha por questão de segurança. Muitas vezes ele acabou caindo da cadeira, do banco do refeitório, então por questão de segurança da criança ela teve essa postura.”

Mas para felicidade e tranquilidade da mãe, o prefeito Leonaldo Paranhos, confirmou o afastamento da professora e que um processo administrativo foi aberto para apurar o caso e que testemunhas serão ouvidas: “Esse é o tramite, até para que a gente possa ter lá na frente o desfecho de punição ou qualquer que seja a medida. Enquanto esse fato não for apurado, nós não podemos evidentemente deixar que a professora fique aqui.”

Leia também: 

Professora cola boca de aluna com fita para que ela ficasse quieta

Primeira professora com Síndrome de Down do Brasil: conheça quem é ela, mesmo! 

Professora corta cabelo igual ao de aluna que sofria bullying: “Eu precisava fazer isso”