Professora usa a criatividade e se transforma em obra de arte para estimular os alunos

Ela percebeu que durante as aulas online, os alunos mais velhos não estavam interagindo ou participando. No intuito de mudar a realidade, ela improvisou e criou algo que alegrou as crianças

Resumo da Notícia

  • Professora usa criatividade e inova na aula online
  • Ela criou o próprio filtro de tela
  • A invenção foi feita para aproximar os alunos
  • Veja o resultado

O isolamento social está fazendo com que muitas pessoas se reinventem. Essa professora é uma dessas pessoas que conseguiram usar da criatividade para driblar esse momento tão difícil. Alessandra Zuravski Martins, mãe do Pedro, 17 anos, e do Arthur, 4, trabalha há 12 anos ensinando arte para alunos de 6 a 16 anos. Durante a quarentena, a professora está lecionando online e criou uma forma inusitada de ensinar.

“Nesse momento em especial, com as aulas virtuais, tive que me adaptar a uma nova rotina. No começo desse trabalho online tudo soou muito assustador. Pois, além de ter que aprender a utilizar uma nova ferramenta tão rapidamente, também tive que descobrir uma nova forma de dar aula. O trabalho com arte para mim sempre envolveu muito esse lado do contato, da troca de ideias, da descoberta de novas possibilidades… e sempre curti muito acompanhar esses processos nos meus alunos. Então, quando soube que teria que lecionar através de uma câmera, me bateu uma tristeza e uma agonia por não saber se o que estava por fazer iria realmente acrescentar algo de alguma forma na vida deles”, contou em uma entrevista ao portal Muralzinho de Ideias.

Ela usou a criatividade para estimular a participação dos alunos (Foto: reprodução Muralzinho das Ideias)

Logo que as aulas online começaram, Alessandra já se deparou com o primeiro desafio: a interação. De acordo com ela, os alunos pequenos continuam falando como sempre: contanto sobre o dia, sobre a família, fazendo perguntas e etc. Já com os alunos mais velhos, a realidade é diferente: “as câmeras se fecham, os microfones se calam”. Insatisfeita com essa realidade, a professora usava do tempo livre para tentar criar alguma coisa que fizesse com que os alunos se aproximassem mais e conversassem durante as aulas.

“Um belo dia, uma colega sugeriu no grupo virtual da escola que testássemos um programa que colocava filtros de tela durante a vídeo-aula. Pensei: Nossa, é isso! Vou usar! Toda animada, baixei o programa e, ducha de água fria. Meu computador, meio atrasadinho, não suportava o tal programa. Não me conformei! Passei o dia pesquisando outras alternativas e acabei chegando na mais óbvia de todas”, disse.

A alternativa encontrada por ela foi algo que já havia feito antes, durante as aulas presenciais. “Coloquei a mão na massa e criei junto com a minha família o meu cenário, o meu filtro “caseiro” de tela. Utilizei o que tinha disponível em casa: casaco do filho mais velho, lenços, varal, papelão, muita vontade que desse certo e que de fato eles se motivassem a interagir comigo”.

A atividade, que foi direcionada aos alunos do 7° ano foi um sucesso e todos amaram. “No primeiro minuto que abri a câmera, começaram os comentários animados e fui ficando cada vez mais realizada, porque simplesmente havia conseguido através da arte que eles sorrissem”, contou.