Projeto promove a criatividade ao usar arte para transformar espaços de escolas públicas

Artistas consagrados da arte urbana brasileira são convidados pelo projeto para criar obras inéditas no ambiente escolar

Resumo da Notícia

  • O Instituto Choque Cultural criou um projeto que deixou os corações quentinhos;
  • Além disso, o ambiente de muitos alunos de escolas públicas ficará mais divertido;
  • A ideia do “Escola Criativa” é revitalizar espaços dessas escolas de São Paulo com intervenções artísticas.

O Instituto Choque Cultural criou um projeto que deixou os corações quentinhos e o ambiente de muitos alunos de escolas públicas mais divertido.  A ideia do “Escola Criativa” é revitalizar espaços dessas escolas de São Paulo com intervenções artísticas.

-Publicidade-

Artistas consagrados da arte urbana brasileira são convidados pelo projeto, para criar obras inéditas nos espaços das escolas – fazendo com que os ambientes fiquem mais coloridos e lúdicos a fim de deixar estudantes e professores instigados a criar e inovar.

Projeto revitaliza escolas públicas (Foto: Reprodução/ Divulgação)

Neste mês, é a vez de uma escola na zona oeste de São Paulo receber o projeto. Segundo o Instituto Choque Cultural, o espaço deve receber pinturas inéditas, obras de caráter pedagógico, pensadas para não só revitalizar os espaços, como também para contribuir para o acolhimento dos alunos na volta às aulas presenciais.

“O espaço físico e humano da escola, tal como organizado hoje, espelha a vida cotidiana da cidade”, pontua uma educadora do Instituto. “Assim como desejamos espaços públicos mais amigáveis ao convívio na cidade, se pensarmos a escola como um microcosmo da cidade, veremos que ela também tem seus espaços coletivos como o pátio, a quadra, os corredores, entre outros que podem ter novos significados”, completa.

(Foto: Shutterstock)

A ideia é que as escolas mantenham os espaços divertidos. Pensando nisso, ferramentas são doadas e possibilitam que as transformações nos espaços escolares continuem após a finalização das intervenções. De acordo com os organizadores, ao longo dos últimos dez anos, o projeto beneficiou mais de 40 escolas, alcançando cerca de 275 professores e milhares de crianças e jovens paulistanos.