Protetor solar: 10 dicas para cuidar bem da pele do seu filho no verão

Como saber se a criança terá alergia ao protetor solar? Ele pode ser usado a partir de qual idade? De quanto em quanto tempo devo reaplicar? Respondemos às principais dúvidas sobre o assunto!

70% das radiações que irão causar câncer de pele são recebidas ainda na infância (Foto: iStock)

Expor seu filho demais aos raios solares tem várias consequências ruins para a saúde. Os problemas variam de queimaduras simples (muito comuns no verão) a complicações que só vão ser percebidas na vida adulta, como o câncer de pele.

Para passar bem longe desses transtornos você deve ter cuidado com a pele das crianças não apenas nos dias de piscina ou mar, mas em todos os dias. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 70% das radiações que irão causar câncer de pele são recebidas ainda na infância. Por isso, é fundamental proteger a pele do bebê e da criança, além de levar seu filho à praia apenas após os 12 meses de vida.

“As férias estão chegando e junto vem o verão, é necessário conhecer sobre as principais dúvidas do uso do protetor solar”, explica a Dra. Loretta Campos, pediatra pela Universidade de São Paulo, que deu algumas dicas sobre os riscos de exposição ao sol inadequada em bebês e crianças:

1. A partir de que idade posso usar protetor solar?

A partir dos 6 meses de idade. Os protetores solares, de qualquer marca, não são recomendados para crianças menores de 6 meses. O uso nesse faixa etária só deve ser feito de acordo com recomendação de um especialista, em casos muito especiais. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a pele do bebê antes dos 6 meses é fina demais, então absorve mais substâncias. Então, as alternativas para proteger as crianças nessa fase são roupas com fotoproteção, bonés, carrinhos com abas e por aí vai. É claro que, nessa fase, não é ideal expor o bebê ao sol, ainda mais em dias muito quentes.

2. Qual o fator do protetor solar que devo comprar?

Em média, o fator 30 é suficiente, mas nada impede que você use um fator de proteção mais forte. É importante avaliar se a pele da criança é seca ou oleosa, para a escolha adequada do protetor solar.

 3. Qual é a quantidade que deve ser aplicada nas crianças?

Sempre o suficiente para cobrir uma camada por todo o corpo. Três colheres de chá cheias para um bebê de 6 meses são recomendadas.

É importante avaliar se a pele da criança é seca ou oleosa, para a escolha adequada do protetor solar (Foto: Shutterstock)

4. O protetor solar deve ser usado antes ou depois do repelente?

Sempre antes! O repelente é por último.

5. De quanto em quanto tempo devo reaplicar o protetor?

O protetor é eliminado da pele em decorrência do contato com o suor ou com a água. Se a criança estiver em contato direto com o sol, o protetor deve ser reaplicado a cada 2 horas. Lembre-se de reaplicar todas as vezes que seu filho entrar em contato com a água, mesmo que o sol não esteja forte.

6. O protetor solar deve ser usado diariamente pelas crianças?

Sim. Todas as vezes que a criança for sair de casa deve ser aplicado o protetor, de preferência 30 minutos antes do passeio. Isso evita o câncer de pele e o envelhecimento precoce. É importante lembrar que pouco tempo de exposição solar faz bem para a produção de vitamina D.

7. Quais são os outros cuidados que protegem a criança do sol?

Além do uso do protetor, usar roupas leves e de algodão que ajudam a filtrar o sol. Manter as crianças hidratadas e usar águas termais na praia e na piscina.

8. Como saber se a criança é alérgica ao filtro solar?

Fazer o teste por 3 dias na parte interna do antebraço para avaliar se terá alergia ou não.

9. Quanto tempo devemos esperar para entrar na piscina após aplicar o protetor solar?

Em média 15 a 30 minutos. A recomendação é passar o protetor em casa antes de sair para a piscina ou praia.

10. Existe diferença de fixação entre protetor aerossol, gel e cremoso?

Eles fazem a mesma coisa, mas o resultado varia de acordo com o tipo de pele. O creme é indicado para pele mais ressecada. O gel para a pele mais oleosa, evita deixar a pele pegajosa e com aspecto gorduroso. O spray tem a vantagem de aplicação mais rápida, mas é bom esparramar com a mão para ter uma melhor aplicação.

Leia também: