Puberdade precoce: entenda quando o desenvolvimento do seu filho está ocorrendo antes do esperado

A puberdade precoce é uma condição que pode afetar crianças de 6 a 12 anos de idade, e que podem ser identificadas em consultas de rotina do paciente. Por isso, é muito importante que pais educados com relação ao tema para que possam acompanhar o desenvolvimento dos filhos

Resumo da Notícia

  • A puberdade precoce é uma condição que pode afetar crianças de 6 a 12 anos de idade
  • Ela pode ser diagnosticada por meio de exames acompanhados em consultas de rotina dos pacientes
  • Por isso, é muito importante que os pais estejam educados com o tema, para que possam acompanhar de perto quaisquer situações fora do normal no desenvolvimento dos filhos

O médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, Dr. Claudio Len, é nosso braço direito quando surge alguma dúvida sobre a saúde do seu filho. Desta vez, o assunto é puberdade precoce! Leia a coluna completa:

-Publicidade-

Falo sempre para os pais que as consultas de rotina das crianças com idades entre 6 e 12 anos são tão importantes quanto as realizadas nos 2 primeiros anos de vida, por vários motivos. Um deles é a chance de identificarmos a puberdade precoce, que tem várias consequências negativas para a saúde. No entanto, nossas conversas sobre este tema começam bem antes. Afinal, a educação continuada é fundamental para que os pais acompanhem o desenvolvimento dos seus filhos, seja nos aspectos físicos, cognitivos e emocionais.

A puberdade precoce pode afetar a vida do seu filho
A puberdade precoce pode afetar a vida do seu filho (Foto: Reprodução)

Fatores externos também podem estar envolvidos, incluindo ingestão de substâncias como o bisfenol. A (que ainda está presente em alguns produtos como embalagens plásticas e de metal) e a ingestão de grandes quantidades de soja.

Em consultas de rotina de meninos e meninas a partir de 6 anos, procuro por manifestações clínicas sugestivas de puberdade que podem ser visualizadas ou apalpadas. Além disso, disso, solicito exames de rotina que incluem a
dosagem de hormônios, radiografia do punho para a mensuração da idade óssea e eventualmente ultrassom de pelve para as meninas, uma vez que o aumento do volume do útero e dos ovários pode ser o sinal mais precoce de estimulação hormonal. Portanto, recomendo consultas pediátricas todos os anos.

Qual idade é considerada a puberdade precoce?

Fátima, mãe de Juliana

Nas meninas consideramos que a puberdade é precoce quando se inicia antes dos 8 anos de idade. Nos meninos é precoce quando começa antes dos 9 anos. Mas tanto pais quanto pediatras devem levar em conta a estatura final estimada nas consultas de rotina. Mesmo não sendo considerada precoce, antes dos 8 ou 9 anos, a puberdade fisiológica, mas antecipada, pode provocar uma aceleração inicial do crescimento e um fechamento precoce das cartilagens de crescimento, o que gera baixa estatura. Recomendo que cada caso seja avaliado individualmente com o pediatra de confiança da família.

Tem alguma forma de prevenir a puberdade precoce?

Marli, mãe de Mike

A puberdade precoce pode ser idiopática ou patológica, quando está associada a doenças de vários tipos, como tumores e uso de medicamentos. Felizmente, a puberdade idiopática é a mais comum e o tratamento medicamentoso é seguro e altamente e eficaz. Portanto, a forma mais efetiva de diagnóstico e tratamento da puberdade precoce consiste em consultas com o Pediatra e eventualmente o Endocrinologista Pediatra, com investigação laboratorial e por exames de imagem nos casos suspeitos. Assim, é essencial que os pais façam consultas de rotina com crianças de 6 a 12 anos.

Tem algum risco para quem tem puberdade precoce?

Betania, mãe de Bianca

Sim, há alguns riscos para as crianças com puberdade precoce não investigada ou tratada adequadamente. adequadamente. O mais comum deles é a baixa estatura, devido à aceleração antecipada do crescimento. Outro ponto a ser comentado é a possibilidade de alguma outra doença relacionada, como tumores benignos e malignos produtores de hormônios, que devem ser investigados e diagnosticados. Além disso, há os aspectos sociais e emocionais, que dependem de fatores familiares e são muito individuais. O médico assistente é o profissional mais indicado para esclarecer todas as suas dúvidas.