Recém-nascido é abandonado na rua e rejeitado pela família: “Os pais tem problema com drogas”

O bebê foi encontrado na rua, sujo de lama e com sinais de desnutrição, na região de Grande Recife

Resumo da Notícia

  • Bebê foi abandonado na rua em lama no Recife e ninguém da família quer ficar com a criança
  • Pela condição da família, ninguém quer ficar com a criança pois não conseguem manter financeiramente
  • Um casal apareceu e disseram ser pais da criança, ainda será feito teste de DNA

Bebê recém-nascido deixado no chão de rua em Camaragibe, município de grande Recife, vai ser possivelmente encaminhado para a adoção, segundo o conselho tutelar. O conselheiro explicou que tentou deixar o bebê com a tia, com a avó e também familiares mais próximos, mas todos se recusaram a ficar com a criança, “O Conselho Tutelar só orienta o antigamente de uma criança depois de cessar todas as buscas”.

-Publicidade-

Segundo relato do conselheiro Ricardo Pedrosa, o bebê de somente 25 dias e apresentava escoriações pelo corpo e sinais de desnutrição quando foi deixado pela mãe e pai na rua Várzea, no bairro Alberto Maia.

“A mãe alegou que jogou a criança lá. porque discutiu com o marido. Ela jogou o menino próximo a uma caçamba. Ele viu e também deixou a criança lá. Cada um foi para um lado e a criança ficou no chão. Foi ai que os vizinhos pegaram a criança e entraram em contato“, relatou ele.

Por não ter condição financeira, família se nega a ficar com o bebê
Por não ter condição financeira, família se nega a ficar com o bebê (Foto: iStock)

Além do bebê, o casal tem mais três filhos que também já foram levados para o conselho tutelar, uma menina de dois anos e meninos de quatro e cinco anos. O conselho tutelar afirmou que eles vão continuar sendo cuidados pela avó materna, no entanto, a mulher disse que não pode cuidar do bebê. “É uma família pobre, os pais tem problema com drogas e ela tem mais três filhos” disse o conselheiro.

Um casal procurou o Conselho Tutelar na última sexta-feira, 8 de abril, dizendo serem os pais do bebê. Eles levaram até documento de nascido vivo e carteira de vacinação. O conselheiro disse que mesmo os dois sendo pais da criança, é necessário um teste de DNA. O casal foi encaminhado para prestar depoimento na delegacia da cidade e o caso está sendo investigado pela delegada Carmem Lúcia.