Regina Casé fala sobre notícia de surdez da filha: “Disseram coisas horríveis”

A atriz gravou um vídeo ao lado de Benedita no Dia do Surdo para conscientizar a população. Hoje, a mãe a jovem voltaram a falar sobre o tema no programa de Fátima Bernardes

Resumo da Notícia

  • Após gravarem um vídeo juntas no Dia do Surdo, Regina Casé e a filha, Benedita Zerbini, voltaram a falar sobre o assunto na manhã desta sexta-feir
  • As duas disseram felizes sobre a repercussão das imagens e falaram sobre a importância de conscientizar a população
  • A jovem assumiu a deficiência auditiva para o público apenas em 2019, mas o diagnóstico veio bem mais cedo, como contou Regina

Após gravarem um vídeo juntas no Dia do Surdo, Regina Casé e a filha, Benedita Zerbini, voltaram a falar sobre o assunto na manhã desta sexta-feira, 2 de outubro. No programa apresentado por Fátima Bernardes, as duas disseram felizes sobre a repercussão das imagens e falaram sobre a importância de conscientizar a população.

-Publicidade-
Regina Casé falou sobre a surdez da filha (Foto: Reprodução / TV Globo)

“Nossa ideia com foi falar de um jeito que as pessoas conseguissem entender um pouco melhor. Muitas pessoas têm dificuldade de lidar ou têm medo do que os outros vão pensar. Pensei: ‘vamos falar do que acontece no nosso dia a dia.’ Tem diversos níveis de surdez”, disse Benedita.

A jovem assumiu a deficiência auditiva para o público apenas em 2019, mas o diagnóstico veio bem mais cedo, como contou Regina. “O diagnóstico da Benedita eu tive curto e grosso, em um susto. A gente achava que ela estava tendo problema na fala. Ela falava pelos cotovelos, mas tudo embolado. A professora da escola disse: ‘já fez audiometria nela? Às vezes eu chamo todo mundo para a sala e ela fica’”, disse a atriz. “Ela fez o teste e o cara disse assim: ‘ela fala muito bem para quem não ouve nada.’ No início, eu não sabia nem para onde correr. Foi um caminho difícil, mas muito vitorioso”, completou.

-Publicidade-
Ela é mãe de dois (Foto: reprpdução / Instagram @beneditazebini)

Na entrevista, mãe e filha contaram que tiveram que vencer vários obstáculos juntas após a descoberta. “Não aceitem ‘não’. Quantos ‘nãos’ eu tive que vencer. [Falaram]: ‘ela não vai para uma escola regular, ela não poder aprender outra língua’…. A gente se deu a mão e não aceitou nenhum não. Me disseram coisas horríveis”, explicou a artista.

Segundo Benedita, falar abertamente sobre a surdez vem sendo libertador, além de ajudar no combate ao preconceito.”Foi muito importante, uma libertação enorme. Para mim foi uma abertura de caminhos e portas. Fui conseguindo, aos poucos, me colocar. Antes eu tinha vergonha ou ficava com medo da reação do outro. Agradeço aos meus pais porque eles foram muito firmes nas escolhas. (…) Tem os preconceitos mais evidentes. Mas tem uma camada de preconceito bem sutil. Muitas vezes você até não percebe, mas, depois, reconhece”, assume.

-Publicidade-