Relato de mãe: “Perdi meu emprego enquanto estava grávida e fiquei com dívida de mais de R$ 300 mil”

Uma mãe contou que entrou em grande dívida ao perder o emprego durante a gravidez e contou que a família tinha que comprar comida e fraudas para o bebê

Resumo da Notícia

  • Hannah Fenwick, de 34 anos, e o marido, Dean, de 38, sempre viveram uma vida confortável e compravam bons carros, TVs e saiam para comer fora
  • No entanto, por trás das câmeras as dívidas só iam aumentando
  • E tudo chegou um limite quando Hannah perdeu o emprego e se tornou dona de casa em 2015

Hannah Fenwick, de 34 anos, e o marido, Dean, de 38, sempre viveram uma vida confortável e compravam bons carros, TVs e saiam para comer fora. No entanto, segundo o The Sun, por trás das câmeras as dívidas só iam aumentando. E tudo chegou um limite quando Hannah perdeu o emprego e se tornou dona de casa em 2015.

-Publicidade-

“Foi aí que tudo começou a perder o controle”, disse a mãe. “Foi horrível”, completou. “Eu não ganhei um centavo após a demissão pois eu estava trabalhando com a empresa fazia menos de 1 ano, então não tinha direito a nada”, explicou.

Ela ainda contou que o filho nasceu dois meses depois, prematuro por 6 semanas devido ao estresse de tudo que estava acontecendo. O casal nunca se preocupou com o dinheiro até ela engravidar. “Antes nós dois trabalhávamos período integral e não tínhamos filhos, vivíamos uma vida confortável”, apontou.

O bebê nasceu prematuro pelo estresse (Foto: Reprodução/ The Sun)

“Quando eu descobri que estava grávida e fui demitida, significou que de repente estávamos vivendo de 1 só salário”, contou Hannah. “Eu desloquei meu joelho na nossa lua de mel em Marrocos, o que me impossibilitou de encontrar um novo emprego já que não conseguia dirigir”, complementou.

“Nós estávamos em um navio afundando”, apontou. Além da hipoteca da casa de três quartos, que o casal sempre pagou junto das contas, eles ainda tinham seis dívidas que lutavam para saldar.

Eles pegaram um empréstimo de R$ 180 mil da Tesco para cobrir algumas pequenas dívidas pessoais, bem como pagar por uma extensão ou mudança de casa, mas acabaram gastando o dinheiro em vez de usá-lo para uma reforma.

Hannah apontou: “Nós desperdiçamos muito dinheiro. Sempre dissemos ‘colocaremos de volta no mês que vem’, mas nunca aconteceu. “Nosso empréstimo da Tesco veio com uma taxa de juros de 12%. Pedimos R$ 180 mil emprestados, mas temos que pagar R$ 300 mil”, explicou.

Hoje o filho dela tem 5 anos (Foto: Reprodução/ The Sun)

O casal também devia dinheiro que pegaram emprestado dos pais da Hannah e outros 2 membros da família, que os deram para eventualmente eles se mudarem. “Isso foi mais R$ 20 mil, tudo se soma e você pensa ‘tudo bem, vou voltar ao trabalho em breve’, mas nunca aconteceu. Fiquei sem trabalho por dois ou três anos”, disse.

Em 2016, sentindo-se sobrecarregada pela  situação, Hannah encontrou o especialista em economia de dinheiro Martin Lewis e o implorou por ajuda. Hannah disse: “Só podíamos pagar R$ 7 por mês naquele primeiro ano”.

“A mudança começou lentamente, ao mudarmos os nossos contratos de banda larga e telefone, coisas assim”, explicou.

“Cada libra extra que economizamos foi para a StepChange para que eles pudessem distribuir o dinheiro. Hannah e Dean venderam os carros e a motocicleta, comprando um carro barato de um amigo que trabalha em uma garagem.

Eles já pagaram 5 das 6 dívidas (Foto: Reprodução/ The Sun)

“O StepChange realmente nos ajudou a olhar para os nossos gastos. Percebemos que não precisavamos de um plano de telefone novo que custava R$ 360 por mês; que não precisavamos da Amazon, Netflix e Sky, que podíamos viver sem eles. “Mesmo agora, eu mantenho um orçamento alimentar de R$ 700 por semana, o que às vezes é um teste para encontrar refeições. Mas tudo se resume a ver o que é um luxo e o que você precisa para sobreviver”, concluiu ela.

No início, Hannah e Dean estavam fazendo pagamentos mínimos, enquanto lutavam para manter as coisas à tona com o novo bebê e renda reduzida. Mas, nos últimos dois anos, eles pagaram R$ 160 mil e cinco de seis empréstimos.

Eles ainda devem R$ 200 mil à Tesco, mas estão esperançosos com pagamento em breve, já que agora têm apenas uma dívida para se concentrar. Felizmente, Hannah também está de volta ao trabalho como assistente administrativa em uma casa de saúde, desde 2019.