Relato de pai: “Eu não fazia ideia de como o casamento seria difícil com crianças”

No entanto, tudo mudou quando Jared e a esposa decidiram abrir o jogo e colocar as cartas na mesa – para eles, a sinceridade rendeu um novo começo

Resumo da Notícia

  • Jared Bilski é casado e pai de duas crianças. Em uma relato à Parents, o pai falou sobre a realidade do casamento após o nascimento dos filhos;
  • O casal abdicou das questões do relacionamento para lidar com a rotina das crianças e suas necessidades;
  • No entanto, tudo mudou quando Jared e a esposa decidiram abrir o jogo e colocar as cartas na mesa - para eles, a sinceridade rendeu um novo começo.

Jared Bilski é casado e pai de duas crianças. Em uma relato à Parents, o pai falou sobre a realidade do casamento após o nascimento dos filhos. O casal abdicou das questões do relacionamento para lidar com a rotina das crianças e suas necessidades. No entanto, tudo mudou quando Jared e a esposa decidiram abrir o jogo e colocar as cartas na mesa – para eles, a sinceridade rendeu, um novo começo.

-Publicidade-

“Não muito tempo atrás, o cenário era sombrio para nós. Depois de ter um bebê, um tempo de qualidade juntos consistia em mim em uma ponta do sofá, minha esposa na outra, nós dois silenciosamente olhando para nossos telefones. “Quer assistir alguma coisa?” um de nós perguntaria. “Claro, eu não me importo”, o outro respondia, e então voltávamos para nossos telefones até a hora de ir para a cama”, começa o pai ao explicar como era a rotina com a esposa.

“Quando começamos a namorar, minha esposa sempre dizia: “Queria que fôssemos só nós”. Naqueles momentos, quando estávamos deitados juntos, sempre parecia que a vida era perfeita quando éramos apenas nós dois sozinhos”, relata.

Pai faz relato sobre casamento com crianças (Foto: Reprodução/ Parents)

Contudo, com a chegada do segundo filho o casal se sentiu  completamente diferente. “Fizemos o possível para evitar qualquer coisa que pudesse levar a um desentendimento porque com as crianças e fatores estressantes relacionados, simplesmente não tínhamos tempo ou energia para lidar com quaisquer problemas em nosso casamento”, explica.

O pai ainda disse que achava o máximo a ideia de ter a esposa como colega de quarto, mas logo percebeu que a realidade seria diferente. “Os colegas de quarto geralmente gostam de sair. A própria palavra muitas vezes evoca imagens de maratonas de videogame, sessões de TV, cervejas, comida sem fim, pilhas e mais pilhas de pratos sujos transbordando de uma pia que você está ocupado demais para limpar por causa de toda a diversão que está tendo com seu colega de quarto”.

“A única parte desse relacionamento que minha esposa e eu tínhamos eram os pratos. Quando nossa família estava completa, não nos tornamos colegas de quarto, nos tornamos colegas de trabalho amargos que estavam lutando para sobreviver a um trabalho horrível (literalmente) e ingrato”, desabafa.

“Em vez de parceiros, tornamo-nos empregados de nível inferior que trabalhavam para os patrões mais exigentes e irracionais: nossos filhos. É verdade que parte do problema era um planejamento inadequado de nossa parte. Nossos filhos nasceram muito próximos. Algumas pessoas chamam de gêmeos irlandeses quando há apenas um ano separando seus filhos. Minha esposa e eu, chamávamos isso de tragédia de 2017”, avalia.

O casamento deixou de ser prioridade

“Para fazer funcionar sem perder a cabeça, tivemos que reestruturar nossas prioridades. Nosso casamento de repente se tornou a prioridade mais baixa da lista. Na época, parecia uma aposta segura. Nosso relacionamento era como um cacto, forte o suficiente para prosperar mesmo nas condições mais adversas”, lembra.

“Nos dez anos anteriores às crianças, tínhamos passado por tantas coisas juntos e sempre parecíamos sair de situações difíceis mais fortes do que nunca. Mas isso era diferente. Quanto mais demos aos nossos filhos, mais próximos nos tornamos deles. E quanto mais nos aproximamos das crianças, mais parecíamos nos afastar um do outro”, desabafa.

Jared disse que em um dado momento, estava preparado para as fraldas, a privação de sono , a rendição de uma vida social e para tudo que envolvesse a paternidade. “O que eu não estava preparado, no entanto, era o preço que ter filhos custaria ao meu casamento”.

Pai faz relato sobre casamento com crianças (Foto: Freepik)

“O pior é que nenhum de nós estava disposto a trazer à tona o quanto éramos infelizes, porque parecia absurdo reclamar de algo que, na superfície, era exatamente o que sempre imaginamos para nós: uma bela casa, o melhor cachorro do mundo e duas crianças saudáveis ​​e às vezes felizes”.

Quando a ficha caiu!

Frutos de pais divorciados, o casal também não soube onde buscar  conselhos sobre o que é necessário para fazer um casamento durar muito tempo. “Uma espécie de descoberta aconteceu quando nós dois admitimos em voz alta o quanto tínhamos sido miseráveis. A parte em voz alta foi a chave. Da mesma forma que as palavras escritas assumem um significado completamente diferente quando faladas em voz alta, o mesmo acontece com aqueles pensamentos que você mantém reprimidos e não ditos. Foi libertador finalmente dizer o que eu estava segurando por tanto tempo”.

“A comunicação direta – dizendo exatamente como estou me sentindo agora e por quê – não era como minha esposa e eu estávamos acostumados a operar. Nossa comunicação sempre foi muito mais indireta. Quando as coisas não estavam funcionando, simplesmente mudamos o curso”.

No entanto, esse tipo de comunicação não durou muito: “Agora que dois lunáticos pequeninos e ávidos por atenção invadiram nossas vidas e assumiram esse papel, a comunicação passiva simplesmente não é uma opção. Se não falarmos sobre os problemas, queixas e desprezos percebidos em nosso casamento nos termos mais claros e diretos possíveis, quando ocorrerem, então esses problemas estão fadados a se perder no tornado diário da vida com crianças pequenas”.

Um novo começo para o casamento

“Estou me sentindo muito melhor em relação ao nosso casamento atualmente. Se não fosse isso, nunca teria tido a coragem de escrever algo assim, muito menos de compartilhá-lo com o mundo nem sempre compreensivo da internet”.

“Minha esposa e eu nunca seremos as mesmas pessoas que éramos há 13 anos, quando tudo o que sempre quisemos era que o mundo desaparecesse e que fôssemos apenas nós. E tudo bem. Contanto que façamos questão de dar a este cacto a quantidade necessária de água e luz do sol, então estaremos fadados a sair das muitas dificuldades que existem à frente mais fortes e mais sábios do que éramos antes”, conclui.

Tradução feita por Hanna Rahal, filha de Lydiana, é repórter júnior na Pais&Filhos. Jornalista, tem experiência em redação, gestão de conteúdo para redes sociais e assessoria de comunicação.