Relato: “Ligamos para conhecer minha sobrinha e minha irmã contou que a colocou para adoção”

Uma mulher cujo nome não foi revelado usou as redes sociais para contar uma história um tanto quanto incomum que aconteceu com a família dela

Resumo da Notícia

  • Mulher usa as redes sociais para contar uma história nada comum que aconteceu com a família dela
  • Ela disse que a sobrinha havia nascido e, pela pandemia, a família combinou uma chamada de vídeo para conhece-la
  • Durante a ligação, no entanto, a mãe da bebê disse que havia a colocado para adoção
  • A família ficou surpresa ao descobrir a notícia e decidiu fazer algo para impedir isso

Uma mulher usou o Reddit para compartilhar uma história que aconteceu com a família dela. Ela contou que a irmã havia acabado de ter uma segunda filha e, por isso, a família toda combinou de fazer uma ligação de vídeo para conhecer a bebê. Durante a chamada, no entanto, a mãe da bebê contou que havia dado a garota para a adoção, por não conseguir cuidar de dois filhos. Na publicação, ela explicou um pouco sobre a história, confira o relato:

-Publicidade-
Relato: “Ligamos para conhecer minha sobrinha e minha irmã contou que a colocou para adoção” (Foto: Getty Images)

“Minha irmã teve um segundo filho e todos nós ficamos emocionados por ela. Ela mora em outro estado, então ficamos um ano sem a ver. Ela já tem um filho de 2 anos e a outra nasceu no mês passado. Minha família, então, decidiu fazer uma reunião no zoom para conhecer a nova integrante. Todos foram chegando e nada da minha irmã mostrar a garota. Depois de um tempo, decidi pedir para ver minha sobrinha”, começou ela, contando.

“Minha irmã falou super baixo que ela não estava ali. Uma tia, então, questionou o que estava acontecendo e eu também. Depois de alguns minutos, minha irmã contou que colocou a filha para adoção no início de janeiro porque ela não poderia cuidar de dois filhos. Todo mundo ficou desesperador, ninguém sabia e nós nem pudemos conhecer a bebê pessoalmente, ne dizer adeus”, continuou.

A mulher seguiu explicando que a irmã não precisava fazer isso, já que qualquer um da família teria aceitado ficar com ela. “Eu poderia ficar com ela… tive vários abortos espontâneos e problemas de fertilidade, embora atualmente esteja grávida, estou estável, possuo uma casa e tenho os recursos para ter uma filha pequena e o meu bebê”, completou.

Ela, então, ficou furiosa e começou a brigar com a irmã durante a ligação. “Chamei ela de narcisista e perguntei quanto tempo vai demorar para ela se cansar do outro filho e se livrar dele também. Perguntei o que ela tinha na cabeça para fazer isso sem avisar ninguém da família. Eu conheço minha irmã, ela sempre disse que queria ter um filho. Eu sei que, no fundo, ela simplesmente não queria uma garota. Ela ficou deprimida quando descobriu que ia ter uma menina, mas emocionada pela essa gravidez recente. Eu a chamei de monstro por ter feito filhos que ela não queria cuidar. Eu disse algumas outras coisas também”, disse.

A avó das duas, então, decidiu intervir e disse que o peito dela estava doendo. “Nesse momento, eu paro. Minha tia que estava com ela foi ajudá-la e desligou a câmera. Minha avó acabou tendo um ataque de pânico que eles pensaram ser um ataque cardíaco no início. Ainda bem que ela já está bem”.

“Desde então, minha irmã cortou o contato com a família toda. Meu pai está chateado comigo por ter explodido (eu fui a única que explodiu) e diz que eu a pressionei. Ele disse que poderia ter tentado convencê-la a reverter, mas minha chicotada verbal arruinou completamente qualquer chance de ter minha sobrinha de volta. Acho que ele não entende o que significa uma adoção. Além disso, a adoção não é um processo rápido, portanto, para ela ter concluído em janeiro, me faz sentir que esse processo estava em vigor por um tempo. Não acho que haja chance de ver minha sobrinha novamente quando a mãe e o pai assinaram os papéis da adoção. Ele está bravo comigo porque agora ele perdeu a neta e tem medo de nunca conhecer o neto”, compartilhou ela.

Tempos depois, ela voltou à publicação para agradecer aos internautas que a apoiaram após contar a história e disse que contratou um advogado para investigar o que estava acontecendo. “Obrigado pelos comentários úteis apontando os problemas com isso. Agradeço especialmente àqueles do serviço social que me procuraram em particular. Eu não percebi quantas opções eu tinha para lutar contra isso ou para ver se era legítimo. Vou atualizar quando descobrir mais informações com o advogado”, disse.

Dias depois, ela voltou com mais uma atualização. “Estou buscando custódia legal e por isso não irei fornecer mais atualizações. Meu advogado recomendou isso. As crianças vêm primeiro. Eu posso dizer algumas coisas. Eles a encontraram. O processo de adoção começou há um ano em silêncio como um “realojamento privado”. Foi-me explicado que poderíamos lutar contra isso, pois eles pularam as etapas do processo”, começou ela, explicando.

“Minha irmã disse a eles que não tinha família / a família que ela tem é abusiva. Houve abuso por parte de nossas mães, mas elas já morreram há muito tempo. Já existe uma investigação aberta sobre o tratamento da minha irmã para com o filho, por causa da maneira como ela entregou a custódia da filha. Vou me mudar temporariamente para um apartamento naquela área, então estou por perto, caso o CPS tome a custódia do meu sobrinho. Foi explicado que esta era a única maneira de lutar ativamente pela custódia – estando disponível e perto”, finalizou.