Relato: “Pedi para meu marido escolher o nome do nosso filho e me arrependi completamente”

O acordo era para que se viesse menino, o pai poderia escolher o nome. A mulher não gostou nem um pouco do nome sugerido

Resumo da Notícia

  • Decidir o nome do bebê pode ser uma missão difícil para os pais
  • Uma mulher deixou o marido escolher o nome do bebê se fosse menino
  • Ela se arrependeu completamente após o marido ter escolhido um nome que ela não gosta

Escolher o nome que seu filho terá para o resto da vida não é uma tarefa nada fácil. Na verdade, essa escolha pode deixar os pais em dúvida e pensativos por muitos meses. O pior de tudo é quando um ou outro não concorda com o nome sugerido.

-Publicidade-

Uma mulher grávida, que preferiu não se identificar, está passando por essa situação com o marido. Como os dois não entravam em acordo, ela teve a seguinte ideia: se for menina, a mãe escolhe o nome do bebê, se for menino, o pai escolhe.

Anonimamente, a mulher expôs essa situação no site Reddit. Na publicação, ela começou dizendo: “Meu parceiro e eu estamos tendo nosso primeiro filho e eu estupidamente fiz um acordo com ele, em que ele poderia nomear nosso filho se for um menino, e eu se for uma menina (eu sei, eu estraguei)”.

Os pais podem não concordar com o nome para o bebê
Os pais podem não concordar com o nome para o bebê (Foto: Shutterstock)

Essa ideia surgiu porque a mulher acreditava que viria uma menina. O arrependimento bateu forte depois de descobrir que, na verdade, o filho do casal é um menino e o pai quer escolher um nome que ela não gosta nem um pouco. “Vamos ter um menino e os nomes que meu parceiro está sugerindo são… não para mim”, comenta a grávida.

Depois de muito pedir, a mulher conseguiu convencer o marido a esquecer o acordo, para que os dois pudessem escolher juntos, mas ainda estão tendo problemas para decidir o nome final, já que seu parceiro realmente quer chamar seu filho de Black. “O raciocínio deles é algo ao longo das linhas de cores, e o preto é apenas uma cor legal. Eles apenas acham que soa legal realmente”, ressalta.

A grávida ainda diz estar preocupada sobre a possibilidade de o nome desencadear questões raciais delicadas, especialmente porque ambos os pais são brancos. “Ele acha que isso é uma lógica maluca, que não tem nada a ver com raça e torná-lo sobre raça é absurdo”, diz a mulher.

Ela concluiu: “Só para esclarecer – não nomearemos nosso filho com algo que não concordemos, mas esta conversa agora se tornou mais sobre se o nome é ou não apenas uma cor ou algo mais carregado e nenhum de nós pode realmente ver a perspectiva do outro”.