Reviravolta! Mãe de Miguel acredita que filho pode ter sido empurrado do nono andar

Mirtes Renata Santana de Souza falou sobre a hipótese do menino ter sido empurrado do nono andar e não simplesmente caído

A mãe pediu ajuda para a manicure que estava no apartamento no momento da tragédia (Foto: reprodução / vídeo YouTube)

A trabalhadora doméstica Mirtes Renata de Souza, mãe de Miguel, de 5 anos, que caiu do nono andar de um prédio quando estava sob os cuidados de sua patroa, Sarí Corte Real, acredita que o filho pode ter sido empurrado.

-Publicidade-

“Eu conheço o Miguelzinho. Quando ele sai do elevador e abre aquela porta de incêndio, ele entra naquele espaço como se tivesse visto alguém lá dentro. Meu sentimento de mãe diz isso. Sinto no meu coração. Meu filho era danadinho, mas já tinha noção de altura. Ele não escalaria duas muretas e cairia de lá sozinho, acredito. Queria que a perícia mostrasse se tem mais digitais naquele local. Mas isso não tira a responsabilidade da dona Sarí. Se ela tivesse tido paciência com o meu filho, a vida dele seria poupada”, disse Mirtes em entrevista à Época.

“Agora, mais calma, olhei atentamente as imagens feitas pela câmera do elevador. O meu filho desce no nono andar, abre aquela porta de incêndio e passa por ela como se tivesse encontrado alguém do outro lado. Quem poderia estar ali? Só a polícia poderá descobrir”, disse Mirtes anteriormente.

-Publicidade-
Miguel caiu do 9º andar de um prédio no dia 2 de junho (Foto: reprodução / vídeo G1)

Duas semanas depois da tragédia, a Polícia Civil de Pernambuco começou a investigar uma outra possibilidade, a de que Miguel tenha sido jogado lá do alto, pois o menino não teria conseguido chegar sozinho ao nono andar do prédio.

O delegado Ramon Teixeira determinou a volta dos investigadores ao prédio. A investigação diz que seria difícil para Miguel, de 1,15 metro, ultrapassar a mureta de 1,20 metro do corredor que levava à área onde ficam armazenados os condensadores de ar-condicionado do nono andar, de onde ele caiu. Além de subir pela mureta e passar pela janela, ele ainda teria que caminhar sobre os refrigeradores e escalar uma grade de 1,30 metro. 

(Foto: Reprodução/Instagram)”É desumano cobrar perdão de uma mãe que perdeu o único filho de uma forma tão trágica e desprezível. A dona Sarí jamais trataria o filho de uma amiga com tanto desprezo. Ela largou o Miguelzinho porque ele é filho da empregada. As imagens estão claras. Ela expôs o meu filho à morte. A dona Sarí nunca me ligou para pedir desculpas. Ela soltou uma carta para imprensa me pedindo perdão publicamente. Mas me parece que ela está mais preocupada com a reeleição do marido para prefeito de Tamandaré do que com os meus sentimentos”, desabafou Mirtes, quando questionada se perdoaria a ex-patroa.

Novo aplicativo Pais&Filhos Interativo: teste seus conhecimentos, acumule pontos para trocar por prêmios e leia conteúdos exclusivos! Para baixar, CLIQUE AQUI.