Reynaldo Gianecchini relembra perda do pai: “Morreu nos meus braços”

O ator comentou sobre a aproximação dos dois nos últimos anos de vida dele e comentou sobre a importância do laço entre pai e filho

Resumo da Notícia

  • Reynaldo Gianecchini comentou sobre a perda do pai
  • O ator disse que se reaproximou dele nos últimos anos de vida e é grato por isso
  • Ele ainda destacou a importância da relação entre pai e filho

Nesta sexta-feira, 3 de dezembro, Reynaldo Gianecchini relembrou a perda do pai durante o programa Conversa com Bial. O ator também comentou sobre a participação em “Esperança”, novela de 2002.

-Publicidade-
Reynaldo Gianecchini comentou sobre a importância do vínculo entre pai e filho
Reynaldo Gianecchini comentou sobre a importância do vínculo entre pai e filho (Foto: reprodução/Instagram/@reynalgogianecchini)

Na trama, ele interpretou o filho do também ator Raul Cortez, e comentou sobre a parceria e uma cena emocionante que foi ao ar: “Essa coisa de pai e filho emociona demais. A falta de comunicação entre pai e filho, que também acontecia no meu caso, meu pai era um italianão duro, essa é também a minha origem, eu também tinha dificuldade com meu pai”.

O ator falou sobre o carinho que sente por Raul Cortez, que já interpretou seu pai duas vezes na ficção: “Virou meu pai nos bastidores”. O ator comenta que a cena entre pai e filho conversando francamente pela primeira vez mexeu tanto com ele, que teve vontade de vomitar. “Chorei fazendo, chorei assistindo e estou chorando de novo vendo aqui depois de 20 anos”, completou.

Na sequência, Reynaldo Gianecchini falou sobre a própria experiência em família. “Às vezes, é tão difícil romper as barreiras. Graças a Deus fiz isso com meu pai em vida. Eu tenho essa felicidade”.

Depois, ele relembrou a perda do familiar: “Meu pai morreu nos meus braços, quando eu também estava doente. A gente conseguiu se aproximar muito nos anos anteriores, então quando ele morreu pude falar tudo pra ele. Em um segundo, a gente resolve questões de talvez encarnações, porque é um segundo que você entende a sua conexão ali e se perdoa, e entende que essa vida aqui é difícil mesmo, para todo mundo, mas essas histórias de pai e filho acabam comigo de emoção”.

O ator, que já comentou que não deseja ser pai, adotou em fevereiro de 2021 uma cadela, que foi nomeada de Sara. “A família cresceu! Conheçam a Sara, que chegou doce, elegante e tão tímida, que escondeu a cabeça atrás do pé da mesa, mas agora já está se sentindo a dona da casa. Já vinha pensando um tempo nisso e quando soube, através da OMS que hoje no Brasil existem mais de 4 milhões de animais morando em abrigos a espera de um lar, não tive dúvidas”, explicou na ocasião.