Família

Rodrigo Faro relembra aborto sofrido pela esposa: “Momento triste para a nossa família”

Hoje, Vera Viel é mãe de três meninas

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Família reunida! (Foto: reprodução instagram/rodrigofaro)

Rodrigo Faro participou de um vídeo no canal de youtube da Mariana Kupfe sobre paternidade e relembrou um momento triste que passou com a sua família. A esposa do apresentador, Vera Viel, sofreu um aborto durante a primeira gestação.

“Foi um momento em que a gente viu que o nosso amor era verdadeiro. Foi o momento mais triste para a nossa família que estava se iniciando, mas teve muito amor e conversa. Fiquei muito do lado dela. procurava não viajar para ficar ao lado da Vera. Não é fácil saber que a sua filha tinha perdido a vida dentro da barriga da sua mulher. Tantas mulheres saindo da maternidade com os filhos nos colos, o momento mais difícil foi ir para a maternidade fazer curetagem. A Vera entrando no elevador para tirar a nossa filha. Nem ela sabe, mas quando ela subiu no centro cirúrgico, sentei no elevador e chorei sozinho. Fui forte. Só deixei para mostrar o que estava sentindo longe dela, mas graças a Deus, seis meses depois, veio a gravidez da Clara”, relembra.

Não se culpe! 

De acordo com historiadores, desde a idade média as mulheres se culpam por não conseguirem dar filhos homens aos seus maridos. “O estigma do aborto foi em grande parte econômico”, explica Edward Shorter, professor de história da medicina. As razões para o aborto foram um mistério médico até muito recentemente, pois as mães sempre foram consideradas o problema. Nos anos 1500, o médico inglês Thomas Reynalde escreveu que dançar ou pular; sentir raiva, tristeza ou alegria repentina; e gastar muito tempo no frio poderia levar ao aborto.

Séculos depois, as consequências a longo prazo de toda essa humilhação materna e culpabilização da mãe são fáceis de ver. As mulheres tradicionalmente mantêm o segredo da gravidez até os três meses e escondem sua dor se abortarem a qualquer momento ao longo do caminho. De acordo com um estudo publicado no Obstetric and Gynecology, 41% dos casais que viveram um aborto espontâneo sentiram que eles haviam feito algo de errado. Mas na realidade, os abortos são quase sempre causados por fatores que estão fora do controle da mãe – como anormalidades genéticas no embrião.

Isso tem um forte impacto na vida dessas mães. A perda de um bebê pode ser traumatizante, isoladora, provocadora de culpa e difícil de esquecer. Uma pesquisa sobre relações familiares mostrou que a ausência de apoio de famílias e amigos nessa situação pode até mesmo fazer com a mãe tenha depressão. A maioria das mulheres que passaram por isso sentem que a melhor ajuda pode ser a de alguma pessoa que também sofreu de um aborto espontâneo.

Leia também:

Zoe faz visita ao trabalho da mãe e Sabrina registra a filha roubando atenção nos bastidores  

Esposa de Rodrigo Faro mostra detalhes da festa de conto de fadas da filha caçula

De partir o coração: coisas que as mulheres escutam após o aborto espontâneo