Romana Novais fala que Ravi já está ajudando com a irmã: “Escolhendo o look dela”

A famosa usou as redes sociais para mostrar o filho mexendo no guarda-roupa de Raika enquanto elas arrumavam a mala para uma viagem

Resumo da Notícia

  • Romana Novais fala que Ravi já está ajudando com a irmã
  • Ela brincou nas redes sociais ao mostrar o garoto mexendo no guarda-roupa de Raika
  • Veja o que ela falou

A médica Romana Novais usou as redes sociais nesta quinta-feira, 4 de fevereiro, para publicar um momento cheio de amor de Ravi, de 1 ano, fruto do relacionamento com o DJ Alok. A família está se preparando para uma viagem e, nas redes, ela contou que o filho está ajudando a preparar as malas, escolhendo as roupas da irmã, Raika, de 1 mês!

-Publicidade-
A bebê nasceu por meio de um parto prematuro (Foto: Reprodução / Instagram @romananovais)

Nos Stories, ela mostrou o garoto mexendo no guarda-roupa da irmã. “Tá escolhendo o look da sua irmã, da viagem? Pega um bem bonito, pega um vestido”, disse ela “Ajudando mamãe escolher os looks da Raika”, escreveu ela ao mostrar a cena.

Desabafo sobre parto da filha

Nesta quarta-feira, 03 de fevereiro, Romana Novais abriu o jogo durante um bate-papo com Thais Fersoza no Youtube. A médica falou sobre maternidade e deu detalhes do parto emergencial de Raika, fruto do relacionamento com Alok. Os dois também são pais de Ravi, de um ano.

-Publicidade-

A bebê nasceu aos sete meses de gestação e o motivo do parto prematuro foi o desenvolvimento de trombose na placenta. A complicação foi causada pela Covid-19. “No caso da Raika, o parto foi normal porque precisava ser. Descobri que estava com Covid-19 menos de uma semana antes dela nascer. Eu tive sintomas. Tive febre, muita dor no corpo e dor de cabeça. Sentia muita dor na barriga, e parecia contração de parto. No meu caso, desencadeei uma trombose na placenta, e isso deixou o ambiente desconfortável para a Raika”, disse.

Ela falou sobre o parto da bebê (Foto: reprodução / Instagram @romananovais)

Romana também falou sobre a necessidade de ser parto normal, já que a cesárea poderia complicar o quadro. “Não tive muita escolha, tinha que ser normal. Se a gente optasse por uma cesárea naquele momento, talvez complicasse muito mais o quadro, o meu e o dela. Como eu estava com infecção, se a gente optasse pela via vaginal poderia piorar toda a situação. Cesárea sangra um pouco mais, e eu já estava sangrando bastante. O importante era a gente tentar cessar esse sangramento o quanto antes, porque eu já estava sangrando muito antes do parto”, explicou ela. Confira o vídeo abaixo:

-Publicidade-