Rússia inicia testes da vacina contra o Covid-19 em 40 mil voluntários

A última etapa contará com 30 mil voluntários que receberão a Sputnik V e 10 mil que receberão um placebo. A informação foi divulgada pela vice-prefeita de Moscou, Anastasia Rakova

Resumo da Notícia

  • A Rússia anunciou  que iniciou a Fase 3 de testes da vacina contra o Covid-19
  • A última etapa contará com 30 mil voluntários que receberão a Sputnik V e 10 mil que receberão um placebo.
  • A testagem em massa foi anunciada após o país receber críticas internacionais por não ter publicado estudos completos do imunizante

A Rússia anunciou nesta quarta-feira, 9 de setembro, que iniciou a Fase 3 de testes da vacina contra o Covid-19. A última etapa contará com 30 mil voluntários que receberão a Sputnik V e 10 mil que receberão um placebo. A testagem em massa foi anunciada em agosto, após o país receber críticas internacionais por não ter publicado estudos completos do imunizante.

-Publicidade-
Os testes em 40 mil voluntários começaram hoje (Foto: Unsplash)

“Os primeiros participantes foram vacinados hoje em estabelecimentos médicos da capital”, disse a vice-prefeita de Moscou, Anastasia Rakova, em um comunicado. A política comemorou o marco como um “dia importante não apenas para a cidade, mas para todo o país”.

Rússia libera primeiro lote da vacina contra Covid-19 para a população civil

O Ministério da Saúde da Rússia afirmou nesta última terça-feira, 8 de agosto, que liberou o primeiro lote da vacina contra o Covid-19 para a população civil. O comunicado emitido pelo governo explica que o imunizante produzido pelo Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia passou nos testes de segurança e eficiência. Apesar disso, a entrega e a aplicação do medicamento ainda não tem uma data certa, apenas está prevista para um “futuro próximo”

-Publicidade-

O vice-diretor do instituto Gamaleya, Denis Logunov, já havia anunciado que o imunizante chegaria esta semana para a população e que a segurança “foi o principal pré-requisito para seu registro”. Segundo ele, há uma “vasta base de evidências de que a vacina é segura”.

-Publicidade-