São Paulo antecipa vacinação contra covid-19 para idosos de 68 anos: saiba como vai funcionar

A partir de uma coletiva de imprensa, que aconteceu no início da tarde, o estado de São Paulo informou sobre a antecipação da vacinação dos idosos

Resumo da Notícia

  • Idosos de 68 anos serão vacinados a partir da próxima sexta-feira, 2 de abril
  • São Paulo irá retomar também o programa Merenda em Casa
  • Durante a vacinação nos municípios, será possível doar 1kg de alimento para as pessoas que mais precisam

Nesta quarta-feira, 31 de março, o governo do estado de São Paulo realizou uma nova coletiva de imprensa trazendo informações sobre a pandemia de coronavírus. Na sexta-feira, 2 de abril, será antecipado a vacinação de idosos de 68 anos. Além disso, começa no dia 12 de abril, a imunização de profissionais da educação na rede estadual, municipal e privada.

-Publicidade-

João Doria, governador do estado, adiantou sobre a disponibilização de mais leitos de UTI covid-19 no Hospital das Clínicas, compra de cilindros de oxigênio, entrega de mais doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde, campanha “vacina contra a fome” e ainda a retomada do programa Merenda em Casa.

Vacinação dos idosos de 68 anos

A imunização, que estava prevista para ter início na próxima segunda-feira, 5 de abril, foi antecipada em todo o estado para o dia 2 de abril, sexta-feira. Apenas nesta faixa etária, cerca de 340 mil pessoas serão vacinadas contra a covid-19. Para agilizar a imunização, é disponibilizado o portal Vacina Já, onde a população consegue fazer um pré-cadastro.

Compra de cilindros em São Paulo

Para o abastecimento de oxigênio na rede de saúde, o Governo do Estado de São Paulo comprou 2 mil cilindros e 1 mil concentradores de oxigênio para tratar os pacientes com covid-19. Além disso, a partir de uma campanha de arrecadação, chamada de “Oxigênio para a Vida”, está sendo pedido doação ou empréstimo de cilindros para uso exclusivo no tratamentos da população. “O Governo de São Paulo pede esse apoio e empresas, organizações, a quem puder. E a população agradece”, diz um comunicado apresentado por Patricia Ellen, secretária de desenvolvimento.

Entrega de mais doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde

Hoje, o Instituto Butantan entregou mais 3,4 milhões de doses da CoronaVac para o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. Além disso, durante a primeira quinzena de abril, outras 4 milhões de doses serão enviadas, totalizando assim 40,7 milhões de doses disponíveis no país.

Campanha vacina contra a fome

Como uma maneira de ajudar quem mais precisa durante a pandemia, foi criado a “Campanha Vacina Contra a Fome”, que busca arrecadar doações de alimentos durante a vacinação da população. Até o momento, 389 municípios já fazem parte dessa mobilização (para ver quais lugares estão disponíveis, acesse www.vacinacontraafome.sp.gov.br).

Até o momento, mais de 6 milhões de doses da Coronavac já foram aplicadas no estado de São Paulo (Foto: Freepik)

Disponível a partir de 5 de abril, todos podem participar. Para isso, é só levar 1kg de arroz, feijão, macarrão ou leite em pó nos postos de vacinação indicados por cada município. “É vacina no braço e comida no prato”, reforça João Doria sobre o slogan da campanha.

Retomada do Programa Merenda em Casa

Em um momento de apoio aos que mais precisam, Rossieli Soares, secretário da Educação, informou sobre a retomada do merenda em casa. O atendimento presencial para os alunos mais vulneráveis tem sido feito desde o início de fevereiro e agora será retomado o Programa Merenda em Casa. “A escola estará sempre disponível. Nós vamos atender presencialmente ainda o atendimento da merenda escolar, como temos feito nessas semanas”, explica.

Para ir além do atendimento presencial, a volta do Merenda em Casa garante o apoio com R$ 55 reais por mês para cada aluno. O primeiro pagamento será feito na quarta-feira, 7 de abril, atendendo 920 mil alunos da rede pública estadual, registradas no CadÚnico.

Nova variante?

Ainda durante a coletiva, o governador João Doria informou sobre a possibilidade de uma nova variante no Brasil, mas ainda é necessário mais estudos para identificar a situação. O caso aconteceu em Sorocaba, cidade que fica a 100km de capital paulista, em um paciente que está seguindo o isolamento enquanto a Vigilância Sanitária investiga outras possíveis contaminações.

Até o momento, é estimado que a variante seja semelhante à sul-africana, mas, como o paciente contaminado não viajou para fora do país, é estudado sobre ser uma evolução da variante P1 de Manaus. “Ontem, 30, terminamos a análise do material genético da rede de laboratório com o Butantan e universidades que estão fazendo esse trabalho. Em Sorocaba, foi identificada uma variante. É uma variante assemelhada a da África do Sul”, comentou o governador.

Vale lembrar que o caso ainda está sendo acompanhado pela Vigilância Epidemiológica e pela secretaria estadual para entender se existem mais pessoas contaminadas. “Precisamos determinar qual a real incidência. Um caso nesse momento em um universo de predomínio da P1. Se for apenas um caso, as medidas estão em andamento. Fora isso, o acompanhamento genômico de outros locais para a observação do surgimento dessa variante, porque é esperado. Temos que fazer esse sequenciamento rotineiro de um percentual das amostras que são testadas, exatamente para fazer o monitoramento do aparecimento das variantes”, completa Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.