São Paulo reforça isolamento e muda fase em 7 regiões: bares vão fechar e comércio tem restrições

Governo reclassificou as fases da quarentena em sete regiões do estado. Regiões na fase laranja vão passar a fechar bares e restringir o funcionamento de comércio e serviços a oito horas por dia, até às 20h e com 40% da capacidade

Em coletiva de imprensa feita nesta sexta-feira, 15 de janeiro, o governo do estado de São Paulo deu informações sobre as novas restrições da quarentena.

-Publicidade-

Quinze dias antes da data inicialmente programada, o governo de SP reclassificou as fases da quarentena em sete regiões do estado. Até agora na fase amarela, as regiões de Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Taubaté vão para a fase laranja, que fecha bares e restringe o funcionamento de comércio e serviços a oito horas por dia, até às 20h e com 40% da capacidade.

“Há uma indicação clara que a segunda onda se acentuou no nosso país. E precisamos de cautela para proteger nossa população. Essa medida preventiva é extremamente necessária para proteger vidas em SP. A situação vem se agravando a cada semana”, afirmou o governador João Dória ao anunciar a regressão de fases em coletiva de imprensa nesta sexta (15).

(Foto: reprodução / vídeo / YouTube)

O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que “só assim reduziremos os índices, que hoje são semelhantes ao que tivemos no pico da pandemia no ano passado”. Com 83% de lotação de UTI’s até esta quinta, a região de Marília, que já estava na fase laranja desde a última sexta (8), agora vai para a fase vermelha, a mais restritiva. Nela, apenas atividades essenciais podem seguir com suas atividades.

“Os números que temos agora é semelhante ao pico da primeira onda da pandemia, precisamos do apoio da população. Fiquem em casa. Se isso não for possível, usem máscaras e saiam com responsabilidade. É preciso preservar vidas neste momento. São os jovens que estão levando o vírus ara casa e matando os seus pais e os seus avós”, afirmou Gorinchteyn.

As aglomerações do final do ano começaram a se revelar nas estatísticas de agora”, afirmou Gorinchteyn. Segundo ele, todos os índices da saúde tiveram um crescimento significativo: 5% no número de casos, 2% no número de óbitos e 10% no número de internações.

Vacinação

Serão encaminhadas 4 milhões de doses da Vacina do Butantan para o centro de logística no Terminal de Cargas do aeroporto de Guarulhos.

“Estamos na antevéspera da primeira saga da vacina. No domingo, a Anvisa deve autorizar o uso emergencial. Tenho convicção de que teremos autorização para uso emergencial de uma vacina, que em julho estará disponível para ser usada no Brasil. O Butantan já tem 4 milhões de doses rotuladas para serem enviadas para o Ministério. Vai ser um grande momento para todos nós brasileiros.  A vacina é uma esperança, mas até lá temos que manter as providências e manter essa luta o mais intensa”, afirmou Dimas Covas, Diretor do Instituto Butantan.