Saúde ocular: a importância do diagnóstico precoce e de investir nos cuidados certos

Desde cedo, é muito importante cuidar da visão dos filhos. Aos seis meses de vida, marcar a primeira consulta com o oftalmologista é necessário e faz toda a diferença para a saúde ocular! Veja quais cuidados ter e sinais para ficar de olho

Resumo da Notícia

  • A primeira consulta com oftalmologista deve acontecer durante os seis meses de vida do bebê
  • O diagnóstico precoce é muito importante para o sucesso do tratamento, impedindo assim o agravamento de doenças oculares
  • Durante a pandemia, houve um aumento dos casos de miopia devido o uso excessivo de telas

Os problemas de visão são assunto sério e não podem ser deixados de lado! Mesmo que pequenos, eles merecem cuidados específicos, pois podem evoluir para doenças mais graves, levando até mesmo à cegueira. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), há cerca de 23 milhões de crianças em idade escolar com problemas de refração na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Venezuela, interferindo diariamente no seu desempenho de aprendizado, autoestima e inserção social.

-Publicidade-

Segundo a Dra. Alessia Braz, oftalmologista membro da Academia Americana de Oftalmologia e diretora clínica da Univi, mãe de Leonardo, muitos problemas visuais costumam ser sutis nas crianças e elas nem sempre conseguem reportá-los para os pais. “Quanto mais cedo identificado e corrigido o problema, maior a garantia de uma bom desenvolvimento visual. Assim, ao suspeitarem de algo errado na saúde ocular infantil, o ideal é que os pais procurem um oftalmologista da sua confiança, para um diagnóstico e tratamento adequados”, recomenda.

Com o isolamento social, houve um aumento excessivo no uso de telas, como smartphones, TV, computadores ou tablets, resultando em uma sobrecarga da visão e incidência das doenças oculares. Um desses casos é o da miopia, dificuldade para ver de longe, deixando a situação alarmante. De acordo com um estudo publicado no jornal JAMA Ophthalmology, houveram mudanças bastante significativas no grau de miopia de crianças de 6 a 8 anos em 2020 quando comparado ao período de 2015 a 2019.

Com a pandemia, os casos de miopia aumentaram pelo uso excessivo de telas (Foto: shutterstock)

Vale lembrar que além do uso de telas, a miopia também pode estar ligada a fatores como: estilo de vida, ambiente e genética. “É muito importante acompanhar a rotina das crianças e garantir que haja equilíbrio entre o período imerso no mundo digital e o tempo em atividades que não envolvam eletrônicos“, indica Alessia Braz.

Quando a família deve marcar a primeira consulta com o oftalmologista?

Segundo a Academia Americana de Oftalmologia, o ideal é que a primeira consulta da criança seja realizada aos seis meses de idade. “Ao completar dois anos, a consulta com o oftalmologista pode passar a ser realizada anualmente”, comenta a médica.

Sinais de que a criança pode estar com problemas na visão

  • Aproximação de objetos: quando a criança não consegue enxergar bem, é bastante comum que ela sente-se mais próxima da televisão ou computador, por exemplo, ou ainda aproxime-se de livros durante a leitura. Para fazer o teste em casa, os pais podem pedir para que os filhos se afastem e tentem identificar os pequenos detalhes. Vale lembrar que isso não dispensa uma consulta com o oftalmologista.
  • Notas baixas: como nem sempre as crianças percebem um problema de visão, esse fator pode ser um indicativo de que existe algo errado. Como resultado, a família pode notar desatenção e dificuldade em aproveitar as aulas. Durante as consultas periódicas, o especialista pode recomendar o uso de óculos, que serão fundamentais durante a aprendizagem.
  • Olhos cansados: se seu filho estiver reclamando de dores de cabeça com frequência ou falando sobre as vistas estarem cansadas, pode ser um indicativo para marcar uma consulta! Esse pode ser um sinal de que há algo errado com a visão, ou ainda da necessidade de uma pausa no uso de eletrônicos.
  • Olhos lacrimejando: se os olhos da criança estão lacrimejando com uma certa frequência e persistindo por dias, é muito importante conversar com o oftalmologista. Esse pode ser um dos sinais de que haja um problema de visão.
  • Coceira frequente: esse sintoma pode indicar a fadiga ocular, seja por exposição aos equipamentos digitais, tendência de piscar menos ou ainda a presença de um corpo estranho. Além disso, o sinal também é um alerta para doenças como conjuntivite e até mesmo blefarite.
  • Maior exposição à luz azul: com um maior tempo em frente às telas na pandemia, é superimportante proteger os olhos. Por isso, incentive seu filho a um maior hábito de piscar e realizar pausas. Uma dica é seguir a regra de a cada 20 minutos de tela, são necessários 20 segundos de descanso. Praticar atividades ao ar livre com a luz natural também é uma ótima alternativa!

A partir de qual idade a criança pode usar óculos de grau?

Não existe uma idade mínima, pois tudo irá depender do diagnóstico da criança. Por isso, visitar um oftalmologista regularmente é superimportante! “Os óculos são indicados para correção de todas as ametropias (miopia, astigmatismo, hipermetropia), alguns casos de estrabismo, e no pós de algumas cirurgias, como catarata congênita. Os pais devem estar atentos à qualidade das lentes, ao uso adequado e ao ajuste e alinhamento dos óculos no rosto da criança”, explica a Dra. Alessia Braz.

Cuidar da visão é sinônimo de carinho

Tecnologia é tudo, até mesmo na hora de pensar nos pequenos detalhes (que fazem toda a diferença!) para o dia a dia da criança. Na linha ZEISS Kids, os óculos são feitos em material policarbonato, que oferecem a garantia contra quedas e trincados. Além disso, brincar fora de casa também exige cuidados por causa da luz solar: “Os olhos das crianças estão em formação, por isso, qualquer tipo de ação incisiva, como a da luz ultravioleta, por exemplo, pode ser prejudicial. Todas as lentes ZEISS são fabricadas com UV Protect, que oferecem proteção de até 400 nm, que é o espectro máximo da visão, contra os raios UV”, comenta Marcelo Frias, diretor de marketing Latam ZEISS, filho de Marcelo e Maria Teresa

Investir no modelo certo de óculos para o seu filho faz toda a diferença (Foto: Shutterstock)

Com o aumento do uso de telas na pandemia, a luz azul pode ser uma grande vilã para a saúde ocular! Por isso, todos os modelos de fábrica da ZEISS Kids já possuem o tratamento ZEISS BlueProtect, que filtra a luz azul, garantindo mais segurança e tranquilidade para a família.

“Levando em consideração que, assim como os adultos, as crianças têm 80% de suas impressões formadas pela visão, investir em tecnologia e ciência para o desenvolvimento de lentes de qualidade, que vão permitir que a criança descubra, perceba e compreenda o mundo ao seu redor, é essencial. Infelizmente, os pais só procuram o oftalmologista quando existe alguma doença, como uma conjuntivite, ou quando a criança machuca o olho, por exemplo. Por isso, deixo aqui alguns questionamentos importantes: seu filho já foi ao oftalmologista fazer uma análise de como está a qualidade da visão? Será que hoje seu filho enxerga mal, mas se acostumou a isso e o mundo é apenas o que ele enxerga? De que seu filho está sendo provado sem saber por não enxergar corretamente? É muito importante marcar uma consulta periódica com o oftalmologista, ao menos uma vez ao ano, pois ele irá avaliar e diagnosticar a visão da criança, indicando o tratamento correto, caso necessário”, conclui Marcelo Frias.