“Se a criança não pode ir até a vacina, a vacina vai até a escola”: Rio vai vacinar alunos contra covid-19 nas escolas municipais

A cidade do Rio de Janeiro vai vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 nas escolas públicas. A decisão foi tomada pensando nos pais e responsáveis que não conseguem levar as crianças aos postos de saúde

Resumo da Notícia

  • A cidade do Rio de Janeiro vai vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 nas escolas públicas
  • A decisão foi tomada pensando nos pais e responsáveis que não conseguem levar as crianças aos postos de saúde
  • É importante ressaltar que as crianças serão vacinadas apenas com autorização de pais e responsáveis

A cidade do Rio de Janeiro vai vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 nas escolas públicas. A informação foi confirmada por Renan Ferreirinha, Secretário Municipal de Educação do Rio de Janeiro, em entrevista à GloboNews.

-Publicidade-

A decisão foi tomada pensando nos pais e responsáveis que não conseguem levar as crianças aos postos de saúde. “Se a criança não pode ir até a vacina, a vacina vai até a escola”, falou Ferreirinha. O projeto se chama Vacina na Escola.

Criança de 11 anos vacinada e sem histórico de comorbidades morre de Covid-19
(Foto: Getty Images)

Segundo o secretário, o objetivo é “facilitar ao máximo” a imunização das crianças. “A partir desta semana, todas as escolas [municipais] com crianças de 5 a 11 anos —são 3 mil escolas— vão receber profissionais da saúde”, explicou.

É importante ressaltar que as crianças serão vacinadas apenas com autorização de pais e responsáveis. “Mas se não tiver como, a criança levará um folheto sobre a imunização e uma autorização a ser assinada”, disse Ferreirinha. O secretário reforçou que a vacinação de crianças é importante para a volta às aulas com segurança.

A vacina é segura para as crianças

Desde o início da pandemia da Covid-19 existem estudos para a vacinação em crianças, e a imunização só foi liberada depois de atender os critérios necessários para atestar sua segurança e eficácia. Então, de acordo com o Dr. André Laranjeira de Carvalho, pai de Sofia e Manuela, formado e especializado pela Universidade de São Paulo, Pediatra do Hospital Albert Einstein, sim, a vacina é segura.

O médico explica que os estudos feitos mostram que não houveram efeitos colaterais graves. “Quando observamos o efeito vacinal na vida real, após milhões de doses aplicadas, atestamos que a vacina em criança realmente é segura”, afirma.

Vacinação crianças
Vacinação crianças contra a Covid-19 (Foto: ThinkStock)

De acordo com o pediatra, uma pesquisa do órgão americano CDC – (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) informou que os efeitos colaterais em mais de 98% dos casos foram leves como febre e dor local. Os outros 2% foram efeitos graves como vômitos e mal estar. “Houveram cerca de 12 casos de miocardite com a vacina da Pfizer após 8,5 milhões de doses, o que dá menos de 0,0001% de risco. Esse número é compatível com os efeitos mais sérios de vacinas conhecidas como gripe, meningo B, HPV e tríplice viral”.