“Se eu fosse branco, você e toda a minha família iam gostar mais de mim?”, questiona menino ao pai

Em uma carta escrita à mão, Guilherme emocionou milhares de pessoas na internet com a pergunta

Resumo da Notícia

  • Guilherme é um menino de 9 anos que foi adotado ainda quando bebê
  • Ele e a família costumam conversar sobre racismo estrutural
  • Milhares de pessoas ficaram comovidas com a história do garoto

Guilherme é um menino negro de 9 anos que enviou uma carta comovente ao pai. O menino, que foi adotado quando tinha apenas 1 ano e 2 meses de vida, perguntou se a família gostaria mais do garoto caso ele fosse branco. Em resposta ao filho, Gustavo Bregunci escreveu uma mensagem que compartilhou através das redes sociais.

-Publicidade-

A história iniciou após Guilherme e a família, composta por Gustavo e a esposa Karina, além dos outros dois filhos do casal, Henrique, de 7 anos, e Felipe, de 5, conversarem a respeito do racismo estrutural, assunto que já é pauta dentro de casa.

“Sempre fomos bem transparentes com o Guilherme, nunca omitimos nada, e meu filho sempre teve muita facilidade para falar das emoções dele. Desde que as aulas presenciais voltaram, ano passado, ele já vinha levantando essa questão de cor da pele, que era o único com pele escura, era ‘diferente’. Na nossa casa todo mundo é ‘diferente’, os meus caçulas são crianças especiais”, contou o pai para o portal de notícias do g1. 

Guilherme e a família
Guilherme e a família (Foto: Reprodução Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Depois de mais uma conversa sobre o assunto, Gustavo conta que saiu do quarto do filho mais velho para tomar banho. Ao chegar ao quarto dele, o empresário viu a carta comovente repousando no travesseiro. “Se eu fosse branco, você e toda a minha família iam gostar mais de mim?”, questionou o menino em sua carta.

Mas a resposta só veio no dia seguinte, quando Gustavo deixou uma carta com a esposa, que deveria ser entregue a Guilherme. Por lá, o pai afirmou: “Ser seu pai é motivo de orgulho para mim! Sobre a sua pergunta, eu gostaria que você imaginasse que estivéssemos conversando, como fazemos todas as noites: deitados lado a lado, olho no olho.”

“O papai te ama muito porque você é exatamente do jeito que é! Amo seu cabelo, amo seus olhos, amo seu nariz, amo sua boca, amo seu corpo, amo sua cor!!! Amo tudo em você”, continuou um dos trechos. O pai de Guilherme compartilhou a carta em um grupo no WhatsApp e, logo depois, nas redes sociais, onde emocionou milhares de pessoas com o relato.