Segunda cidade chinesa começa a oferecer vacinas contra o coronavírus

Shaoxing, da província Zhejiang começará a aceitar pedidos da população para tomar a dose. Ainda não se sabe qual será a vacina administrada

Resumo da Notícia

  • As autoridades de Shaoxing informaram que irão aceitar pedidos de residentes para receber as vacinas
  • Até então, elas só estavam sendo oferecidas para casos especiais e trabalhadores de alto risco
  • Ainda não foi definido a partir de quando isso irá valer

Mais uma cidade chinesa começou a oferecer a vacina que combate o coronavírus. As autoridades de saúde de Shaoxing, da província Zhejiang, que fica no leste do país, passou a aceitar os pedidos dos residentes para receberem a dose.

-Publicidade-
A informação foi dada pelas autoridades de saúde locais (Foto: Unsplash)

Até o momento, a vacina contra a covid-19 vinha sendo limitada apenas a casos especiais e trabalhadores de alto risco. De acordo com a comissão municipal de saúde, esses grupos continuam prioridade na filha, mas também irão oferecer para quem desejar ser vacinado voluntariamente, dependendo da disponibilidade do produto.

Segundo o jornal Minuto ao Minuto, ainda não foi definido qual será a vacina administrada, já que nenhuma empresa possui a licença para comercializar esse produto, e também não há uma previsão de quando essa decisão começará a valer.

-Publicidade-

Os cidadãos de outra cidade da província de Zhejiang, Jiaxing, caso precisem da vacina com urgência, também podem marcar uma consulta em clínicas comunitárias, como explicaram as autoridades.

Em ambas cidades, a vacina poderá ser aplicada em pessoas entre 18 e 59 anos, por cerca de 400 yuan (cerca de R$ 338). Esse procedimento é feito em duas doses, com intervalo de 14 a 28 dias entre elas.

O diretor do Centro para o Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia da Comissão Nacional de Saúde, Zheng Zhongwei, afirmou nesta terça-feira que as vacinas contra a covid-19 testadas não apresentaram efeitos adversos.

Embora ele não deu uma data para que elas sejam aplicadas em massa, reforçou que a China deseja fabricar 610 milhões de doses da vacina ainda antes da virada do ano.

-Publicidade-