Dia Mundial da Amamentação: a importância da proteção ao aleitamento materno e da rede de apoio

Hoje, 1º de agosto, é o Dia Mundial da Amamentação e o início da Semana do Aleitamento Materno. A data reforça (ainda mais!) a importância de incentivar a prática e oferecer todo o apoio possível para a mãe que está amamentando

Resumo da Notícia

  • 1º de agosto é o Dia Mundial da Amamentação
  • Junto da data, se inicia também a Semana do Aleitamento Materno, que tem o objetivo de incentivar a amamentação e garantir a proteção
  • A data é comemorada há mais de 20 anos e reforça a importância do leite materno para o desenvolvimento do bebê

Neste domingo, 1º de agosto, é o Dia Mundial da Amamentação e o início do Agosto Dourado, que reforça a importância do incentivo à amamentação. A cor foi escolhida por estar relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno e é comemorada há mais de 20 anos!

-Publicidade-

Em 2021, é trazido a reflexão sobre o tema “Proteger a amamentação: uma responsabilidade de todos”, que só prova (ainda mais!) o quanto a rede de apoio é fundamental para a mãe que está amamentando. É preciso pedir ajuda e você não é menos por isso e nem pior.

Amamentar não é uma tarefa fácil (a gente sabe) e vai além de apenas dar o leite ao bebê. É um ato de amor, proteção e carinho, que faz toda diferença no desenvolvimento da criança ao longo da vida. Sem a orientação correta, esse momento deixa de ser prazeroso para mãe e filho e pode causar dor e dificultar a pega pelo bebê. Por isso, é muito importante insistir que as mães não desistam de amamentar. A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam o aleitamento exclusivo até o 6º mês de vida, pois as fórmulas e leites especiais não se igualam ao leite que vem da mãe.

Proteger a amamentação é uma responsabilidade de todos e deve incentivada o máximo possível! (Foto: Getty Images)

Qual a importância da participação do pai e da rede de apoio durante a amamentação?

“A amamentação é um intenso aprendizado entre a mãe que produz o leite materno e o bebê que precisa aprender a extrair o leite que é o único alimento completo para o crescimento e desenvolvimento adequado. É um processo que exige muita atenção, dedicação e auxílio. Para produzir leite a mãe passa por importantes alterações hormonais o que muitas vezes leva a alteração emocional. A mãe precisa de apoio e reconhecimento nesse momento da maternidade e amamentação. Sendo assim, eu digo aos pais, se a mãe estiver bem cuidada e se sentir acolhida, o bebê estará muito bem cuidado. Dentro deste contexto o pai e toda a rede só não podem amamentar, o restante, todos podem e devem se envolver e participar“, explica a enfermeira pediátrica e consultora em aleitamento materno, Eneida Souza, mãe de Julia, Beatriz e Daniel.

Como ajudar a mãe que está amamentando

O acolhimento e suporte na participação dos cuidados com o bebê fazem toda a diferença. Por isso, você pode auxiliar a mãe a recordar os passos e checar se o bebê está com a pega correta. Olhar se a posição que ela está é confortável também ajuda (e muito!). Além disso, não esqueça de reforçar que ela não está sozinha nessa nova fase e pode sempre contar com você.

Dicas para a pega correta da amamentação

  • Os lábios do bebê ficam voltados para fora, e a boca aberta como “boquinha de peixe”
  • O queixo do bebê fica encostado no seio da mãe
  • A barriga e o tronco do bebê ficam voltados para a mãe
  • A bochecha do bebê enche quando suga o leite
  • O bebê deve pegar todo o mamilo e a parte inferior da aréola
  • O nariz do bebê não encosta no seio da mãe, e ele respira livremente

Como evitar a dor

Uma boa dica é fazer uma massagem no seio antes de colocar o bebê para mamar pela primeira vez. Massageie ao redor do seio e depois ao redor da aréola. Por fim, faça uma pequena ordenha, puxando o seio para trás e para frente. Isso faz com que os ductos de abram e o colostro saia.

O leite materno faz toda a diferença para o desenvolvimento do bebê (Foto: istock)

Como doar leite materno e ajudar outras mães

O leite materno é fundamental para um melhor desenvolvimento do bebê. Através desse alimento, ele recebe todos os nutrientes necessários para crescer de forma mais saudável. Segundo o Ministério da Saúde, 11% dos nascimentos no Brasil ocorrem antes do previsto, e a doação de leite materno se torna ainda mais importante. Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP com bebês na UTI constatou que o leite humano pasteurizado ofertado é tão bom quanto o leite que é ofertado diretamente da mãe para o próprio filho (leite materno cru) para o desenvolvimento do bebê.

As mães que estão amamentando podem procurar os bancos de leite humano ou postos de coleta de leite humano para doar e ajudar outras famílias. Atualmente, existem 233 bancos de leite humano no Brasil. Cada um dos 26 estados e o Distrito Federal possuem pelo menos um local. Além disso, por todo o país existe também 221 postos de coleta e também os serviços de retirada domiciliares.

Para encontrar o banco mais próximo, você pode acessar o site do Ministério da Saúde (clique aqui), ou ainda ligar para 0800-026-8877. A partir destes canais, é possível obter mais informações sobre a retirada do leite materno no domicílio e a data de coleta.