Sempre alerta! Menina de 5 anos morre após engasgar com bolinha de borracha

O caso ocorreu no Sul do Espírito Santo. A vítima desmaiou após engolir o objeto dentro de casa

Resumo da Notícia

  • Uma menina de 5 anos morreu sufocada no sul do Espírito Santo
  • A criança engoliu uma bolinha de borracha e chegou ao hospital já sem vida
  • Entenda os sinais e prevenções necessárias para evitar acidentes e sufocamentos no seu filho

Vitória Francisca Andrade, de 5 anos, morreu após engolir uma bolinha de borracha em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Espírito Santo. A vítima estava com a mãe durante o acidente – que a levou às pressas para o Corpo de Bombeiros mais próximo.

-Publicidade-

Os profissionais que presenciaram a cena contaram, em entrevista ao G1, que a menina já chegou ao local desmaiada e sem pulso e respiração. Contudo, a equipe tentou – sem sucesso – reanimá-la com práticas de primeiros socorros antes de encaminhá-la ao Hospital Materno Infantil Francisco de Asssis (HIFA).

Vitória chegou ao local já sem batimentos cardíacos. Mesmo assim, os médicos tentaram reanimá-la durante 40 minutos, e fizeram a cirurgia de remoção do objeto – mas a menina não resistiu. Esses casos são importantes alertas para prevenção de sufocamentos e acidentes que podem ser fatais

É importante ficar ligado!

Os pesquisadores perceberam que os números de produtos no mercado com baterias minusculas cresceram de uma forma absurda nos últimos anos e isso pode ser muito perigoso para as crianças, que costumam colocar tudo na boca. Controles remotos de TV, termômetros digitais e brinquedos controlados remotamente podem ser um dos principais causadores dessas ocorrências, de acordo com eles.

A ONG Criança Segura – Mundial, parceira da Pais&Filhos, recomenda que os pais estejam sempre muito atentos e evitem dar esses objetos para os filhos. “Para prevenir esse tipo de ocorrência em casa, tente ver o mundo pelo ponto de vista de uma criança: mantenha objetos pequenos, como moedas, baterias, ímãs, botões ou joias fora do alcance e da vista”, orienta o pedriatra.

A asfixia é uma das principais causas de acidentes infantis (Foto: Reprodução / Parents)

A gente sabe que tudo é motivo de curiosidade das crianças, principalmente objetos pequenos e coloridos. E qual é a primeira coisa que elas fazem? Levam pra boca. É a forma delas de explorar, de descobrir. A sufocação é a principal causa de mortes por acidentes em menores de 1 ano, segundo a ONG Criança Segura. Ainda de acordo com a ONG, 68% das crianças dessa idade que sofrem esse tipo de acidente não sobrevivem. Ou seja: todo cuidado é pouco!  Os objetos que são engolidos e seguem o mesmo caminho dos alimentos, em geral, passam despercebidos, sem nenhum sintoma aparente. Já os que são aspirados ou por algum outro motivo seguem para as vias aéreas, podem causar falta de ar e sufocamento.