“Seremos a geração que vai acabar com o racismo”, diz neta de Martin Luther King Jr. em discurso histórico

Durante a palestra, Yolanda Renee King falou sobre racismo e democracia, além de refletir sobre os efeitos da pandemia para as gerações mais novas

Resumo da Notícia

  • Yolanda Renee King discursou no púlpito do avô
  • Martin Luther King Jr. foi assassinado no dia 4 de abril de 1968
  • A jovem de 13 anos faz parte da 3ª geração que discursa no púlpito do ativista

Após 53 anos de seu assassinato, Yolanda Renee King, de 13 anos de idade, subiu ao púlpito do avô, Martin Luther King Jr; para lembrar o legado do ativista dos direitos dos negros nos Estados Unidos, assassinado por causa de sua luta. A menina aproveitou o espaço para fazer jus a história da família ao falar sobre assuntos como sobre racismo e democracia.

-Publicidade-

O discurso de Yolanda aconteceu na Catedral Nacional de Washington. Este foi o mesmo local onde o pastor proferiu o último sermão dominical, antes de morrer no dia 4 de abril de 1968.

“Depois de uma pandemia que está roubando nossa infância, e uma insurreição que quase roubou nossa democracia, eu acredito que seremos a geração que vai acabar com o racismo estrutural”, defendeu a menina.

Ainda, Yolanda comentou sobre fazer parte da 3ª geração que discursa no púlpito histórico: “Eu me sinto em casa hoje, porque sou a 3ª geração da minha família a falar aqui, e seguindo uma tradição familiar, não farei um sermão comum de igreja, estarei fazendo uma chamada para a ação”.