Setembro Dourado: conheça os sintomas do câncer infantojuvenil e a importância do diagnóstico precoce

O mês traz uma conscientização necessária sobre a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes no Brasil. O GRAACC incentiva os tratamentos especiais e fez alertas sobre possíveis sinais

Resumo da Notícia

  • Setembro Dourado é o mês de conscientização sobre o câncer infantojuvenil.
  • O Hospital do GRAACC ressaltou a importância do diagnóstico precoce e início de tratamentos especializados
  • Confira sintomas que os pais precisam ficar de olho

Setembro Dourado é o mês de conscientização sobre o câncer infantojuvenil. Essa é uma iniciativa da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), para combater a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes até 19 anos no Brasil.

-Publicidade-
Quanto antes receber o diagnóstico, maiores são as chances de cura (Foto: Reprodução/ I Stock)

A iniciativa tem o objetivo de orientar sobre a importância do diagnóstico precoce. O Hospital do GRAACC ressalta a necessidade de investigar o mais rápido possível os sintomas, as chances de cura são potencializadas quando o diagnóstico é conhecido logo no início e tratamentos especializados são iniciados.

Para a Dra. Monica Cypriano, oncologista pediátrica e diretora clínica do Hospital do GRAACC, o tratamento é urgente e não deve ser postergado. “Quanto mais cedo a doença for descoberta maiores são as chances de alcançarmos bons desfechos clínicos. No caso de pacientes em tratamento, o abandono ou atraso nos procedimentos como quimio e radioterapia podem resultar em piora na sobrevida e no quadro clínico”, explica.

De acordo com a médica, por conta dos efeitos colaterais dos tratamentos, pacientes com câncer já têm uma vida com mais restrições  e não costumam se expor a situações de risco. “Mas vale ressaltar que em tempos de pandemia, medidas de distanciamento social, higiene das mãos e uso de máscara têm um impacto positivo importante”, completa.

A criança precisa do apoio da família (Foto: Reprodução/ Getty Imanges)

O Hospital do GRAACC é referência em casos de alta complexidade de câncer infantojuvenil. A taxa de cura pode passar de 70%, resultado muito semelhante aos dos melhores centros de câncer infantil existentes no mundo. O GRAACC investe para garantir aos seus pacientes o direito de alcançar todas as chances de reestabelecimento da saúde, com qualidade de vida, dentro dos mais avançados padrões de excelência em tratamentos e atendimento humanizado.

De olho nos sinais

Em seu site, o Hospital disponibiliza a cartilha “E se for câncer infantil? Os sinais da doença e as chances de cura”, visando transmitir o conhecimento sobre este tipo de câncer, tratamentos, chances de cura e esclarecer as principais características dos casos de maior incidência entre crianças e adolescentes.

“Elaboramos a cartilha focando as especificidades do câncer infantojuvenil, além de informações sobre os tipos de tumores mais comuns e os principais sinais que podem indicar a existência da doença. Queremos que a publicação seja uma fonte de consulta para pais, pediatras e outros profissionais de saúde”, comenta a Dra. Monica Cypriano.

Alguns sintomas de câncer infantojuvenil são parecidos e muitas vezes confundidos com doenças comuns da infância. Por isso, é importante ficar de olho em casos de:

Conheça o GRAACC

Criado em 1991 para atender crianças e adolescentes com câncer, o Hospital do GRAACC tornou-se referência no tratamento do câncer infantojuvenil. A instituição possui uma parceria técnica-científica com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) que possibilita, além de diagnosticar e tratar o câncer infantil, o desenvolvimento de ensino e pesquisa.

O GRAACC é a primeira instituição do País, especializada em câncer infantojuvenil, a receber a acreditação da Joint Commission International (JCI), uma das organizações mais conceituadas do mundo na área de certificações em serviços de saúde. Lá foram realizadas mais de 32 mil consultas, além de cerca de 1,5 mil procedimentos cirúrgicos e 20,5 mil sessões de quimioterapias.

A Instituição completa 30 anos de atividades em 2021. Neste período, o Hospital do GRAACC elevou o patamar do tratamento de alta complexidade do câncer infantojuvenil no Brasil para 70% de chances de cura, em média.