Sexo e amor na real: como manter a conexão entre o casal após a chegada dos filhos

Quando estamos apaixonados o coração dispara, a pupila dilata e fica difícil se concentrar nas atividades do dia a dia. Mas depois de tudo isso, a frustração surge quando o casal fica preso ao quem eram antes dos filhos

Resumo da Notícia

  • A paixão costuma durar entre 18 e 30 meses, de acordo com estudos científicos;
  • Um levantamento realizado por uma universidade inglesa indica que a felicidade conjugal atinge o auge por volta dos três anos de relacionamento;
  • Ou seja, já é natural cair na rotina, mas fica a questão: como se manter conectado com o parceiro depois dos filhos

A paixão costuma durar entre 18 e 30 meses, de acordo com estudos científicos. Um levantamento realizado por uma universidade inglesa indica que a felicidade conjugal atinge o auge por volta dos três anos de relacionamento. Ou seja, já é natural cair na rotina, mas e depois dos filhos? Como se manter conectado com o parceiro?

-Publicidade-

Quando estamos apaixonados o coração dispara, a pupila dilata e fica até difícil se concentrar nas atividades do dia a dia. Mas depois da conquista, é natural que esses “sintomas” diminuam e é aí que nós fazemos tudo possível para organizar a rotina no trabalho com a família e manter o relacionamento saudável.

Ainda assim, muitas pessoas afirmam que apesar de todos os esforços, o casal perde a conexão quando se tornam uma família, ou seja, após o nascimento dos filhos. Mas para Tatiane de Sá Manduca, psicóloga clínica e autora do livro “Valida-te”, mãe de Mateus à Pais&Filhos, não é bem assim que as coisas acontecem.

É natural cair na rotina, mas o que fazer depois dos filhos?
É natural cair na rotina, mas o que fazer depois dos filhos? (Foto: Getty Images)

Para ela, os papéis de pai, mãe e filho são construídos e reconstruídos diariamente. “A reinvenção fica a serviço de compreender que as adaptações serão necessárias para que possam aprender juntos que este tempo de transição não ocorre do dia para a noite, e a frustração acontece quando os casais ficam presos ao que era antes do nascimento dos filhos”, explica. A psicóloga ainda diz que isso causa problemas no relacionamento, e por isso é preciso aprender com a nova realidade, e adaptá-la com diálogo, amparo afeto e elaboração.

Sem dúvidas, é preciso fazer ajustes na relação durante a transição de casal para pais. Afinal, muita coisa muda após a maternidade e a paternidade. E justamente por isso, viver cada experiência e lapidar o que funciona, o que aproxima, e o que distancia o casal, pode ser uma maneira de dialogar sobre este processo. Além de ser uma boa alternativa para construírem juntos um novo momento.

Criar conexão é essencial

Muitas vezes, o casal coloca todas as outras prioridades na frente e deixa para ter um momento a dois se sobrar tempo, mas não é grande novidade que depois do nascimento dos filhos, ninguém tem tempo sobrando. Por isso, é importante que o casal separe pelo menos  um momento a dois. Seja um dia da semana, ou uma hora do dia, lembrem-se sempre do amor que os tornou antes de pais, casal.

Segundo a psicóloga, o afeto e a compreensão dão espaço na relação para a intimidade sexual, que aos poucos se reorganizará ou se reinventará com tantas mudanças ocasionadas por esta fase. “Encontrar novos modos de falar sobre o sexo, de praticar e de estimular é importante.  Não esperar a espontaneidade da relação sexual e estimular a relação íntima pode ser uma boa dica”, pontua Tatiane.

Em alguns relacionamentos, principalmente os longos, o casal pode de alguma forma se acomodar. E para a psicóloga, o sexo conecta. Não somente pela atividade, como também para retomada de uma nova maneira de se relacionar intimamente e a exploração de outros modos e lugares para a intimidade.

A sexóloga e estudante de psicanálise Talita Gois, acredita que os casais podem sim, passar por um afastamento tanto emocional como físico. “Penso que com o tempo o casal perde algo muito valioso, a conexão, que é responsável por mantê-los em harmonia. Quando se perde, é normal aparecerem as dúvidas e o medo. Neste momento, o casal precisa criar um ritual diário de conexão e, principalmente, ter um diálogo saudável”.

“É sempre importante que o casal continue fazendo planos juntos, tenha atenção um com o outro, dialogue sempre, demonstre carinho, pratique o autocuidado e que entenda a necessidade um do outro”, explica a psicóloga Vanessa Gebrim.

Dicas para o casal se conectar depois dos filhos

É normal que os filhos ocupem grande parte da rotina dos pais, mas é possível criar momentos que valorizem seu relacionamento. Além disso, existem hábitos simples, que fazem toda a diferença.

os papéis de pai, mãe e filho são construídos e reconstruídos diariamente
Os papéis de pai, mãe e filho são construídos e reconstruídos diariamente (Foto: Getty Images)

Crie momentos especiais: ter vínculos e laços profundos faz toda a diferença. Os pequenos gestos de carinho são essenciais para reacender o amor no casamento e criar situações para propiciar esses momentos é uma boa!

Elogie e agradeça: demonstrar gratidão é superválido para o crescimento do casal. Elogiar, além de alegrar, pode elevar a autoestima do parceiro ou parceira. “Você é o amor da minha vida”, “Cada dia que passa, eu te amo mais”, “Estar com você é a melhor coisa que me aconteceu na vida”, ” Você é um pai e marido maravilhoso”, são frases muito importantes para a rotina.

Tenham hobbies em comum: de acordo com as especialistas, os hobbies refletem a personalidade do casal. Ou seja, marcar de malhar uma vez por semana juntos, fazer uma aula diferente ou mesmo se aventurar em uma atividade nova, como escalada, dança, futevôlei, ajuda a criar um desligamento automático da rotina.

Olhe nos olhos: antes do diálogo e de apimentar a relação, é preciso olhar nos olhos. Isso porque, quando você olha diretamente nos olhos do parceiro, transmite seriedade, integridade e confiança. Ou seja, apesar de tudo, vocês podem ter a certeza de que sempre terão um ao outro. É um pouco daquela máxima: “na saúde ou na doença, na alegria ou na tristeza”.

Abrace:orgasmo libera grandes quantidades de ocitocina, mas abraços de mais de 20 segundos também. E é por isso que casais carinhosos, que não economizam nos gestos de afeição, tendem a durar mais, mesmo nos momentos em que a quantidade de relações sexuais diminui por conta da rotina.

O amor deve ser vivido todos os dias e por mais que o casal não perceba, ele está em cada detalhe. Seja nos pequenos gestos, no cuidado ou na dedicação à família. Mas ele aumenta, quando o casal está junto, por isso, valorize o tempo que há entre vocês dois!

A importância da rede de apoio

Ter com quem contar no cuidado com as crianças, poder conversar e saber que não está só é fundamental para fazer uma rotina mais tranquila. Mas sabemos que essa não é a realidade de todos.  E quando não, ainda assim, é preciso criar maneiras de fugir da rotina. Seja assistindo filmes ou criando hábitos que os aproximem.

muitas pessoas afirmam que apesar de todos os esforços, o casal perde a conexão quando se tornam uma família
Muitas pessoas afirmam que apesar de todos os esforços, o casal perde a conexão quando se tornam uma família (Foto: Getty Images)

Estudos também indicam que fatores como o apoio emocional dos cônjuges, o envolvimento paterno com os cuidados do bebê e a satisfação com a divisão dos trabalhos domésticos podem influenciar a forma como a relação conjugal se desenvolve durante a transição para a parentalidade. E nesse processo, as especialistas reforçam que o diálogo é essencial.

E lembre-se, a parentalidade traz muitas delícias, mas junto com elas, as dores, os medos e inseguranças também vem! É importante respeitar seu tempo e seu corpo, e amar a si tanto quanto ama seu parceiro. Ter um filho não é romântico, e o papel do parceiro ou parceira é fundamental nessa adaptação. Com isso, a chegada dos filhos tende a unir ainda mais o casal.

Para saber mais, leia também a reportagem do projeto Lábios Livres, que busca ajudar pessoas a descobrirem sua sexualidade e viverem vidas mais felizes e sensuais.