Simone conta estratégia para lidar com ciúmes de Henry após nascimento de Zaya

Junto com Simaria, a sertaneja participou do primeiro programa após dar à luz recém-nascida, fruto do relacionamento com Kaká Diniz

Resumo da Notícia

  • Simone, da dupla com Simaria, falou sobre como está a nova rotina após dar à luz Zaya
  • A sertaneja e Kaká Dini também são pais Henry, de seis anos
  • Simone e Simaria falam sobre a relação com os filhos durante a pandemia

Simone, da dupla com Simaria, falou sobre como está a nova rotina após dar à luz Zaya, fruto do relacionamento com Kaká Diniz, com quem também tem Henry, de seis anos. Em entrevista ao Gshow, dupla contou que a recém-nascida já conquistou todos da família.

-Publicidade-
Simone e Simaria falam sobre a relação com os filhos (Foto: Reprodução / Gshow)

Simone, que participou do Ding Dong, do programa do Domingão do Faustão, ficou pela primeira vez longe de Zaya, que tem apenas 24 dias de vida. “Tá linda, gostosa da mamãe. Primeira vez que fico algumas horas distante dela”, disse a sertaneja.

Simaria, falou sobre o primeiro encontro com a sobrinha e disse que não conteve as lágrimas. “Vi essa semana e chorei igual a um neném. Fiquei tão emocionada, não imaginava, foi a coisa mais linda. Ela é tão pequena. Peguei no colo, tava muito quietinha, do jeito que ela estava, ficou. Ela tá linda”, contou.

Simone ainda falou sobre como Henry está lidando com a situação de ser promovido a irmão mais velho e que tentou fazer o filho não sentir ciúmes de Zaya. “Ele está superbem, porque a gente se dividiu muito bem pra ele não sentir. O papai dá bastante atenção pra ele, coloca ele pra dormir enquanto estou com a Zaya. A gente faz essa divisão para os dois não ficarem só olhando pra Zaya. Mamãe troca pra ficar um pouco com ele também”, disse.

Simaria que é mãe de Giovanna, de 8 anos, e Pawel, de 5 anos, frutos do relacionamento com Vicente Escrig, contou um pouco da quarentena em família. “Antes, ninguém podia aproveitar com a família. O meu pequeno de 5, o Pawel, me pedia ‘posso dormir com você’, como eu dizia não pra essa coisinha? Agora, eu coloco os dois todos os dias pra dormir, orar”, contou.

5 dicas para lidar com o ciúme entre irmãos

Sem dúvidas, a chegada de um bebê transforma a rotina da casa e a dinâmica do lar. Por exigir um cuidado e uma atenção extras, o filho mais novo torna-se a principal preocupação dos pais, especialmente nos primeiros dias. De uma hora para a outra, toda a atenção que o irmão mais velho tinha fica concentrada ou dividida para o novo integrante da família. Assim, surge o inevitável ciúme.

Esse sentimento pode ser explicado como uma reação da criança que julga ter perdido parte do amor dos pais. “O primogênito experimenta sentimentos de perda quando percebe que vai ter que ceder espaço para o novo bebê e que agora precisa compartilhar o amor e a atenção de seus pais”, explica a psicopedagoga Monica Pessanha.

Assim, o filho mais velho procura formas de voltar a ter a atenção exclusiva dos pais, usando até mesmo comportamentos infantilizados. Um exemplo é a criança pedir auxílio dos pais para comer, sendo que ela já sabia comer sozinha. Outro sinal pode ser uma acentuação das birras ou uma volta repentina a essa fase.

A neuropediatra Karina Weinmann lembra que não existe uma regra para os comportamentos. “A forma de manifestar esse ciúme pode variar de criança para criança. Depende de como os pais preparam a criança para esse novo cenário”, explica. É importante que a família saiba contornar a situação.

Para isso, vamos partir da ideia de que o ciúme é completamente normal e, para lidar com ele, é necessário ter muita paciência e tranquilidade. Esse é um momento para o filho mais velho se adaptar e fazer os ajustes internos diante do novo cenário da família. Os pais podem ajudar nesse sentido, fazendo com que ele pense conscientemente sobre o ciúme e supere esse sentimento.

Como lidar com os ciúmes?

O diálogo é uma forma de resolver quase todos os problemas de relacionamento e, no caso do ciúme do primogênito, isso não é diferente. Então façam com que a criança mais velha se sinta encorajada para falar sobre tudo o que ela sentir em relação ao irmão mais novo. “Estas são emoções normais e é melhor que a criança não as guarde para si. É importante que os pais não punam ou ignorem esses comportamentos”, alerta Mônica.

Além disso, mostrem o amor incondicional que sentem pelos seus filhos sempre. O objetivo é que a criança mais velha entenda que há amor suficiente para os dois. Vale também revisitar fotos e vídeos do primogênito quando bebê, relembrando todo o amor e carinho que vocês deram e continuam dando a ele.

Outra parte importante é demonstrar que as regras da casa serão as mesmas tanto para o mais velho quanto para o mais novo. Isso certamente vai tranquilizar o ambiente e a relação entre os irmãos.

E o mais importante: faça com que o amor do primogênito pelo irmão mais novo seja nutrido. Sempre coloque os dois em contato, seja brincando ou mesmo entregando pequenas responsabilidades para o irmão mais velho, como dar mamadeira. Ter um irmão é uma das formas de compreender as necessidades das outras pessoas e, assim, expandir nossa capacidade de amar. Não deixe de trabalhar essa ideia, na prática, com os seus filhos!