Síndrome de Haff: entenda o que é, os sintomas, e saiba como tratar a doença da urina preta

Você já ouviu falar na Síndrome de Haff ou doença da urina preta? Por ser potencialmente grave e causada pela ingestão de peixes, é preciso ficar de olho nos sintomas que surgem depois de comer o alimento e podem causar insuficiência renal

Resumo da Notícia

  • A Síndrome de Haff ou doença da urina preta é causada pela ingestão de peixes
  • Antes de consumir o alimento, é superimportante checar a fonte e ter certeza da procedência dele
  • A doença é potencialmente grave e pode levar ao óbito, como o caso da veterinária Pryscila Andrade, em Pernambuco

Nesta terça-feira, 2 de março, a veterinária Pryscila Andrade, de 31 anos, morreu 12 dias depois de ficar internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Recife, por causa da Síndrome de Haff, também conhecida como doença da urina preta. Ela e a irmã, Flávia Andrade, de 36 anos, foram contaminadas após comerem um peixe do tipo Arabaiana.

-Publicidade-
Além de Pryscila e Flavia, outros cinco casos da Síndrome de Haff, ou doença da urina preta, estão sendo investigados em Pernambuco (Foto: Shutterstock)

Segundo informações da Folha de Pernambuco, as irmãs começaram a ter os primeiros sintomas cerca de quatro horas após o almoço. Após terem fortes dores no corpo e também rigidez muscular, elas foram internadas no Hospital Português. Felizmente, Flavia passa bem e já recebeu alta. O sobrinho da Pryscila também ingeriu o alimento, mas por ter sido uma quantidade muito pequena, ele não recebeu o diagnóstico da doença.

Especialistas já descartaram a possibilidade de uma bactéria no alimento, uma vez que os peixes foram cozidos ou fritos. De acordo com a literatura médica, todos os pacientes diagnosticados com a Síndrome de Haff, até mesmo fora do Brasil, consumiram o animal, geralmente encontrado em água doce.

-Publicidade-

O que é a Síndrome de Haff

A Síndrome de Haff, ou doença da urina preta, pode ser caracterizada por uma lesão nas células musculares, que é causada pela ingestão de peixes e crustáceos, de acordo com o médico urologista, Maurício Jacomini Verotti, membro da Sociedade Brasileira de Urologia, da Doctoralia e pai de Enzo. “A síndrome foi descrita pela primeira vez por médicos da região do Mar Báltico chamada Konigsberg Half, e por isso leva esse nome. Em 2008, houve um surto da doença na Amazônia, onde foram registrados 27 casos.

Sintomas da doença da urina preta

O especialista recomenda procurar por ajuda médica imediata caso os sintomas apareçam. Vale ficar de olho caso você note: rigidez e dor muscular generalizada, dor torácica, urina escurecida (da cor do café), náuseas e vômitos, falta de ar e formigamentos. Geralmente, os sinais começam a aparecer em cerca de duas ou 24 horas após a ingestão de peixes ou crustáceos.

Como tratar a Síndrome de Haff

Assim que o paciente notar os sintomas da doença da urina preta, é importante que ele receba suporte clínico, hidratação, faça coleta de exames laboratoriais e, principalmente a monitorização da função renal. “Ela pode ser prejudicada, visto que esse dano da célula muscular pode provocar o que a gente chama de mioglobinúria, que faz a urina ficar escura e danificar o rim”, explica Maurício. “A insuficiência renal é o que traz a maior preocupação em termos de gravidade e mortalidade”, alerta o médico.

A doença da urina preta é grave em adultos e crianças

Considerada como potencialmente grave em ambos os casos, a Síndrome de Haff tem como principal intercorrência a insuficiência renal. “Isso pode ocasionar outros eventos adversos como, por exemplo, arritmia cardíaca, descontrole da pressão arterial, podendo inclusive levar a morte”, comenta o urologista.

A Síndrome de Haff é causada pela ingestão de peixes contaminados, geralmente vindos de água doce (Foto: Shutterstock)

“Em geral, os casos evoluem bem, embora haja desfechos desfavoráveis, como o ocorrido em Pernambuco, por exemplo”, lamenta. De acordo com o portal PebMed, outros cinco casos estão sendo investigados no estado.

Como prevenir a Síndrome de Haff

Segundo o especialista, é superimportante que o paciente se lembre dos sintomas da doença e consiga relacioná-los. “A Síndrome de Haff não é tão frequente. Ela admite diagnósticos diferenciais como, intoxicações, seja por mercúrio, por arsênico e por aí vai”, explica. “Então, a primeira menção é sempre lembrar desse diagnóstico quando você tem esse quadro de urina escura com dores musculares, e instalação súbita e após o consumo de peixes e crustáceos”.

Como uma alternativa para evitar a doença da urina preta, Maurício explica que a única maneira é fazer a seleção dos alimentos ingeridos, neste caso os peixes, e evitar aqueles que tenham uma procedência duvidosas. Além disso, vale ficar de olho também em eventuais surtos de contaminação local. “Durante estas fases, evite esses alimentos por um tempo”, conclui.