Sinead O’Connor faz desabafo e culpa governo da Irlanda pela morte do filho: “Não perdoarei”

Shane O’Connor morreu aos 17 anos e sofria de depressão. Cantora questiona o fato do filho ter conseguido escapar de um hospital após duas tentativas “graves” de suicídio

Resumo da Notícia

  • Shane O'Connor foi encontrado morto na cidade de Wicklow, na Irlanda
  • O menino havia sido dado como desaparecido dois dias antes da morte
  • O adolescente estava internado em um hospital após duas tentativas de suicídio

A cantora Sinead O’Connor fez um desabafo após a morte do filho Shane O’Connor, de 17 anos, que foi encontrado sem vida na sexta-feira, 7 de janeiro, na cidade de Wicklow, na Irlanda.

-Publicidade-

A cantora culpa o governo da Irlanda pela morte do menino, que cometeu suicídio após conseguir fugir do hospital onde estava internado em observação após duas tentativas de tirar a própria vida na semana passada.

(Foto: Reprodução/Redes sociais)

“Fiz a identificação formal do corpo do meu filho, Shane. Que Deus perdoe o estado irlandês, porque eu nunca perdoarei. Agora a Tusla [uma agência] quer discutir comigo ‘um comunicado para a mídia’, sem dúvida querendo que eu me junte aos seus esforços para fazer com que a morte do meu filho pareça que não aconteceu nas mãos do Estado”, escreveu em publicações no Twitter.

Sinead O’Connor também diz que o serviço público da Irlanda divulgou uma “declaração desonesta” sobre o que de fato aconteceu com Shane. “Expressos como sempre na preocupação onipotente e falsa que afirmam ter pela privacidade das crianças que morrem sob sua guarda. Agora irei reservar um tempo para lamentar [a morte de] meu filho, mas quando estiver pronta, contarei exatamente como o estado irlandês, nas formas ignorantes, malignas, egoístas e mentirosas da Tusla e HSE, possibilitaram e facilitaram sua morte”, escreveu.

A cantora ainda diz que as declarações feitas pela Tusla são todas “uma armadilha de merda”, e afirma que “muitas crianças estão morrendo sob a supervisão” da agência.

Morte de Shane O’Connor

Shane O’Connor, filho de 17 anos da cantora Sinéad O’Connor, foi encontrado morto na sexta-feira, 7 de janeiro.

O menino havia sido dado como desaparecido dois dias antes da morte. Pelo Twitter a cantora declarou que Shane “decidiu encerrar sua luta terrena. A artista já havia ameaçado processar o hospital onde o adolescente estava internado após duas tentativas de suicídio.

No dia 3 de janeiro, a cantora pediu orações para o filho e há dois dias, relatou o desaparecimento. Em uma sequência de postagens, ela compartilhou uma música de Bob Marley que dedicou ao filho, e o chamou de seu “bebê de olhos azuis” e “a luz da minha vida”. “Isto é para o meu Shaney. A luz da minha vida. O brilho da minha alma. Meu bebê de olhos azuis. Você sempre será minha luz. Nós estaremos sempre juntos. Nenhuma fronteira pode nos separar”, escreveu.

Shane era um dos quatro filhos de Sinéad, que também é mãe de Jake Reynolds, Roisin Waters e Yeshua Francis Neil Bonadio.

Desaparecimento

Shane foi visto pela última vez em Tallaght, no sul de Dublin, na sexta-feira. Em seu alerta, a cantora de “Nothing Compares 2U” escreveu: “Ele tem 1,52 m, cabelo castanho curto e olhos azuis. Quando visto pela última vez, ele estava vestindo um moletom preto com uma calça de treino escuro de design estampado, uma camiseta cor de vinho e tênis”.

Desde que relatou o desaparecimento de Shane, a cantora recorreu às redes sociais: “Shane, sua vida é preciosa. Deus não moldou aquele lindo sorriso em seu lindo rosto à toa. Meu mundo entraria em colapso sem você. Você é meu coração. Por favor, não pare de lutar. Por favor, não se machuque. Vá para o Gardai e vamos levá-lo ao hospital”.

(Foto: Reprodução/Redes sociais)

Mais tarde, ela ameaçou o hospital de processo caso algo acontecesse com o filho: “Como um jovem traumatizado de dezessete anos QUE ESTAVA NO SUICIDE WATCH [supervisão de suicídio] no Hospital de Tallaght, Lynn Ward, pôde desaparecer??? É claro que o hospital se recusou a assumir qualquer responsabilidade. Aconteceu alguma coisa com meu filho sob sua responsabilidade? Ações judiciais. Eu quero saber por que Lynn Ward, no hospital Taillight, que deveria destacar uma auxiliar de saúde supervisionando meu filho 24 horas por dia, 7 dias por semana, conseguiu deixá-lo fora de seu alcance esta manhã quando, 7 dias atrás, ele fez duas tentativas graves de suicídio”, protestou.

Sinéad também protesta contra a Tusla, a agência estatal irlandesa de proteção à criança e à família, que não a comunicou sobre a morte do filho. Ela afirmou que que o posicionamento da Tusla é inaceitável.

“E qualquer declaração de Tusla sugerindo que eles a) fizeram o melhor b) se importaram ou c) sentiram as mais profundas simpatias por qualquer um aqui, exceto seus advogados, é uma armadilha de merda que matou muitas crianças e não vai lavar desta vez. Muitas crianças estão morrendo sob a supervisão de Tusla”, concluiu.