Sintomas do coronavírus: como reconhecer e diferenciar da gripe e resfriado?

Como os sintomas do novo coronavírus podem ser muito semelhantes aos da gripe e resfriados, é importante ficar atento para as diferenças entre as três doenças

Resumo da Notícia

  • No Brasil, há 98 casos confirmados de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus 
  • A transmissão do coronavírus é feita através da mucosa oral, do nariz e dos olhos
  • É importante saber o histórico de onde a pessoa esteve nos últimos 15 dias antes de os sintomas surgirem, além de ficar atento para as diferenças entre os sinais das três doenças
O novo coronavírus tem taxa de fatalidade menor que a da gripe (Foto: Getty Images)

O novo coronavírus está deixando muita gente assustada. Declarado como pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Covid-19 tem alto potencial de transmissão e está se espalhando rapidamente pelo mundo.

-Publicidade-

Os sintomas mais comuns do coronavírus são febre, cansaço e tosse seca. Algumas pessoas têm dores no corpo, congestão nasal, coriza, dor de garganta ou diarreia. Uma em cada seis pessoas desenvolve dificuldade para respirar. Também existem pessoas que não desenvolvem sintoma nenhum, segundo a OMS.

Como os sintomas do novo coronavírus podem ser muito semelhantes aos da gripe e resfriados, é importante saber o histórico de onde a pessoa esteve nos últimos 15 dias antes de os sintomas surgirem, além de ficar atento para as diferenças entre os sinais das três doenças.

-Publicidade-
SintomasCoronavírusResfriadoGripe
FebreComumRaroComum
TosseComum, normalmente secaModeradaComum, normalmente seca
EspirrosNãoComumNão
Dor no corpoÀs vezesÀs vezesComum
Dor de cabeçaÀs vezesRaroÀs vezes
Dor de gargantaÀs vezesComumÀs vezes
Dificuldade para respirarÀs vezesNãoÀs vezes
Coriza ou nariz escorrendoÀs vezesComumÀs vezes

(Fonte: OMS)

Quando é a hora de ir ao hospital?

Idosos e pessoas com doenças de saúde como pressão alta, diabetes e doenças cardiovasculares têm mais chance de desenvolver um quadro grave da doença. Crianças e pacientes com baixa imunidade também podem apresentar manifestações mais graves. No caso do novo vírus, ainda não há relato de infecção sintomática em crianças ou adolescentes.

Especialistas recomendam que pessoas com quadros leves fiquem em casa com ​remédios para os sintomas, hidratação e repouso. As chances de pegar coronavírus no pronto-socorro são grandes atualmente.

Mas caso você apresente falta de ar progressiva, tosse intensa, catarro com pus ou febre alta com calafrios, é preciso ir a um hospital. Esses são sinais de infecção grave pelo novo coronavírus. Em caso de dúvida, consulte um médico para saber sobre os próximos passos.

Como prevenir o coronavírus

A transmissão do coronavírus é feita através da mucosa oral, do nariz e dos olhos. Por isso, os especialistas recomendam os mesmos cuidados tomados com doenças respiratórias para evitar o contágio pelo vírus: cobrir a boca com a manga da roupa ou braço em caso de tosses e espirros e sempre lavar as mãos.

Confira mais dicas da Sociedade Brasileira de Infectologia para reduzir o risco de infecção:

  • Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar nas mucosas dos olhos;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
  • Sono em dia: criar uma rotina e respeitar o corpo é fundamental para fortalecer o organismo.

-Publicidade-