Dia da Solidariedade: 5 dicas para ensinar desde cedo esse sentimento para o seu filho

Desde a infância, é superimportante que as crianças se sintam amadas e também desenvolvam esse sentimento pelo próximo. A solidariedade não é uma característica inata, mas sim algo que pode (e deve!) ser construído ao longo do desenvolvimento infantil, por isso, separamos alguns conselhos para te ajudar nesta missão

Resumo da Notícia

  • Veja 5 dicas para ajudar a construir o sentimento de solidariedade
  • Entenda a importância de começar desde cedo
  • Saiba a importância e os benefícios de ajudar o próximo

Fazemos de tudo para que nossos filhos saibam que são amados e que terão ajuda sempre que precisarem, mas também é importante fazê-los entenderem que outras pessoas também precisam de ajuda. No momento atual, é essencial incentivar as crianças a serem mais altruístas e, principalmente, menos egoístas, pensando também na importância do outro.

-Publicidade-
Ser um exemplo para a criança é superimportante (Foto: iStock)

“Ao aprender a ser compassivo diante de doenças, situações ruins, perdas, sofrimentos dos outros é possível ter compaixão e aceitar as próprias desilusões”, explica a psicóloga Cristiane Alves Lorga, mãe de Luísa e especialista em Intervenção Familiar do ITS (Instituto Terapia Sistêmica).

Então, quanto mais falarmos sobre esse assunto, melhor! E dá começar cedo apresentando algum livro ou filme com o tema compaixão e, claro, dando o exemplo. Sabe aquela velha história de dar uma xícara de açúcar para o vizinho? Já é um começo!

-Publicidade-

A solidariedade não é uma característica inata, mas sim algo que pode (e deve!) ser construído ao longo do desenvolvimento infantil. Para te ajudar nessa missão, separamos cinco dicas de ouro em como você pode estimular essa habilidade na infância:

Veja algumas dicas para te ajudar nessa missão (Foto: Getty Images)

1- Compartilhar é tudo!

Durante as brincadeiras, tente incentivar a importância de dividir com brinquedos, atividades e materiais que possam ser compartilhados como, por exemplo, jogos de tabuleiro, massinha, bonecas, entre outros. Isso faz com que seu filho perceba o quão importante (e divertido!) dividir os objetos com outra pessoa.

2- Não obrigue a criança a dividir ou emprestar os objetos e brinquedos

É normal seu filho ter itens só dele e que ninguém pode mexer, e tudo bem! Ninguém precisa compartilhar tudo, mas quando um amigo estiver em casa, é importante separar com antecedência os brinquedos que ele não gostaria que o colega mexesse.

Isso vale também para aqueles brinquedos que não serão doados em um primeiro momento. Mas, com o tempo, é essencial que os pais conversem sobre a importância de ajudar o próximo e que juntos, eles possam separar os brinquedos e roupas que a criança não usa mais.

3- Você é o exemplo do seu filho

Não tem jeito, para ensinar solidariedade para as crianças você é a melhor ferramenta para todo o processo. Durante o momento de pandemia, você pode mostrar ao seu filho que muitas pessoas também precisam se ajuda e, desta forma, separar roupas, cobertores, alimentos e outros itens que não usa mais para doação. Deixe que a criança participe da experiência e mostre como ela também pode ajudar.

4- Solidariedade e empatia andam de mãos dadas

Ao ensinar sobre empatia, a criança também aprende sobre solidariedade, afinal, a experiência é um processo de via de mão dupla. Portanto, é muito importante que seu filho aprenda a se colocar no lugar do outro. Além de aprender a doar um brinquedo, por exemplo, é preciso que ela entenda ainda a felicidade que a outra pessoa terá ao receber o objeto lá na frente.

5- Pratique a leitura

Antes de dormir ou em algum momento relaxante do dia, a ferramenta de leitura pode ser um ótimo estímulo para aprender coisas novas, principalmente quando o tema é solidariedade. A partir das narrativas e aventuras, a criança se coloca no lugar do personagem e enriquece ainda mais o aprendizado dos mais diversos temas.

-Publicidade-