Sthefany Brito fala sobre uso de telas pelo filho de 7 meses: “Não fico neurótica, nem incentivo”

A atriz comentou sobre as vezes que pagou a língua na maternidade. Ela é mãe de Antonio Enrico, fruto da relação com Igor Raschkovsky

Resumo da Notícia

  • Sthefany Brito resolveu fazer enquete no Instagram nesta terça-feira, 1 de junho para comentar sobre as vezes que ela pagou a língua na maternidade
  • A atriz é mãe de Antonio Enrico, de 7 meses, que é fruto da relação da famosa com Igor Raschkovsky
  • Na brincadeira ela comentou sobre o uso de telas pelo bebê

Sthefany Brito resolveu fazer enquete no Instagram nesta terça-feira, 1 de junho para comentar sobre as vezes que ela pagou a língua na maternidade. A atriz é mãe de Antonio Enrico, de 7 meses, que é fruto da relação da famosa com Igor Raschkovsky.

-Publicidade-

Pedindo para que os seguidores chutassem vezes que ela pagou a língua uma fã começou: “Chupeta! Tô pagando a minha também”. “Eu nunca disse que não ia dar, mas dizia que ia esperar”, respondeu Sthefany, que logo complementou: “Corta para: primeiro dia em casa chupando chupeta como se chupasse a vida toda”.

Sobre tirar a chupeta do menino ela comentou: “Tirar agora??? Jamais!!! E pra que eu faria isso? Aqui a chupeta funciona muito. E ele não passa o dia de chupeta não! Ele usa para dormir e pra acalmar se precisa. Vou tirar quando ele for mais velho”.

(Foto: Reprodução / Instagram / @sthefanybrito)

Uma seguidora em seguida questionou como o bebê da atriz estava aceitando beber água, e Sthefany logo comentou que a adaptação não foi tão fácil quanto imaginava: “Agora está aceitando um pouquinho melhor, mas no começo também não queria… Eu acho que ele pegava achando que ia ter um ‘tetêzinho’ bem gostosinho e de repente um troço sem gosto. Não tem nem uma semana que ele tá bebendo água um pouquinho melhor”.

Sobre o uso de telas na casa Brito, a mãe babona disse que o uso desses aparelhos não é completamente proibido “Se a TV está ligada e ele está no mesmo ambiente não fico neurótica não… Claro que não incentivo, mas ele já conhece a televisão”, explicou ela.

Sobre a amamentação ela contou que não foram as mil maravilhas que ela esperava, na verdade que o processo foi bem sofrido e pagou a língua sobre “entrar com fórmula”. “Segurei o máximo que pude, mas aí começou a ser sofrido para ele, porque eu já não conseguia tirar muito leite para completar a mamada”, explicou, que isso deixava o menino irritado e que começar a fórmula foi o que a fez continuar amamentando por tanto tempo.