Substância da família do teflon está associada a casos graves de Covid-19, diz estudo

Substância pode ser encontrada em embalagens de alimentos, equipamentos de proteção de profissionais da área da saúde e diversos cosméticos. Apesar de ficar pouco tempo no sangue, o PFBA se acumula nos pulmões

Resumo da Notícia

  • Um estudo dinamarquês está associando uma substância da família do teflon a casos graves de coronavírus
  • A substância também pode ser encontrada em cosmésticos, tapetes e embalagens de alimentos
  • A pesquisa analisou o sangue de 323 pacientes contaminados com a covid-19

Um estudo dinamarquês mostrou que níveis elevados de um composto perfluorado do tipo PFAS, um componente tóxico que também pode ser encontrado em panelas antiaderentes, estão associados à níveis mais graves de coronavírus. A pesquisa está em processo de revisão por pares e contou com a participação de 323 pacientes infectados com a Covid-19.

-Publicidade-

De acordo com o estudo com os pacientes, aqueles que apresentavam níveis mais elevados da substância chamda PFBA tinham duas vezes mais possibilidades de desenvolver a doença em sua forma mais grave. O PFBA faz parte de uma classe de compostos industriais comumente chamados “substâncias permanentes” e que vêm contaminando solo, água e alimentos ao redor do mundo, dizem informações em reportagem do The Intercept.

A pesquisa foi feita na Islândia (Foto: Getty Images)

Ainda que o PFBA saia rapidamente da corrente sanguínea, levando apenas uma questão de dias, o componente fica acumulado nos pulmões – o que pode explicar os resultados desse estudo dinamarquês. “É provavelmente o que está nos pulmões que conta, porque ali se desenrola a grande batalha do Covid”, explica Philippe Grandjean, principal autor da pesquisa. Dos 323 pacientes que participaram do trabalho de Grandjeans, 215 foram hospitalizados.

-Publicidade-

Para entender a ligação do componente com a gravidade da doença, os pesquisadores analisaram amostras do sangue dos pacientes procurando cinco compostos de PFAS. Durante a análise, descobriram que apenas o ácido perflurobutanoico (PFBA) estava associado à doença. Mais da metade dos pacientes que tinham sido hospitalizados em estado grave apresentavam níveis elevados do composto no plasma. Ao mesmo tempo, 20% dos que apresentaram sintomas de covid-19 em formas leves tinham níveis baixos do ácido.

O que é o PFBA?

O ácido perflurobutanoico (PFBA) é um composto usado em produtos eletrônicos, além roupas – incluindo as impermeáveis – e equipamentos de proteção para profissionais da saúde e bombeiros, como aventais e espuma contra incêndios. Além disso, pode ser encontrado em tapetes, tratamento de couro, embalagens de produtos alimentícios, cosméticos (como base, hidratantes, corretivos, sombras em pó), lubrificantes para bicicletas e cera para pisos.