Substâncias plásticas e relacionadas a cosméticos são encontradas em sangue de recém-nascidos

A análise de cientistas norte-americanos também encontrou os compostos nas mães, acreditando que tenham sido compartilhados com os filhos pela placenta

Resumo da Notícia

  • 55 substâncias químicas desconhecidas ao corpo humano foram detectadas no sangue de grávidas e seus filhos
  • Outras 42 substâncias também foram identificadas, sem origens ou usos conhecidos
  • Cientistas acreditam vir de produtos como cosméticos e plásticos

55 substâncias químicas desconhecidas e nunca relatadas no corpo humano foram detectadas no sangue de mulheres grávidas e seus filhos, que, segundo os cientistas norte-americanos, estão relacionadas a plásticos e cosméticos. Além disso, a pesquisa também encontrou com 42 compostos químicos misteriosos, sem origens ou usos conhecidos, mas que os estudiosos acreditam vir de produtos também.

-Publicidade-

O estudo foi feito por uma equipe da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF) e coletou 60 amostras de sangue de 30 mulheres grávidas diferentes, junto com 30 amostras de seus cordões umbilicais. Ao todo, foram detectados 109 compostos químicos, sendo 55 novidades ao corpo humano, 42 sem origem ou uso determinados e 12 que não levantaram suspeitas.

O estudo coletou 60 amostras de sangue de 30 mulheres grávidas diferentes, junto com 30 amostras de seus cordões umbilicais (Foto: Getty Images)

O resultado inesperado indica que o processo teve início na mãe e sugere que os produtos químicos tenham ido para o bebê através da placenta. Acredita-se que a origem dos estranhos compostos químicos está associada a plásticos, cosméticos e até mesmo material de construção. Há também a hipótese de que os produtos químicos estão há muito tempo no corpo, mas só agora foram detectados por meio do uso de espectrometria de alta resolução, uma técnica analítica física para detectar e identificar moléculas que só se tornou acessível na última década.

-Publicidade-

Após a coleta, os pesquisadores combinaram amostras semelhantes, classificaram-nas e identificaram 109 resultados únicos – muitos dos quais derivados de diferentes produtos de consumo. Aproximadamente 40 são usados ​​como plastificantes, 28 em cosméticos, 25 em produtos de consumo, 29 como produtos farmacêuticos, 23 como pesticidas e três como retardadores de chamas.

A equipe também identificou sete compostos de PFAS que são um grupo de produtos químicos sintéticos que foram fabricados e usados ​​em uma variedade de indústrias ao redor do mundo, incluindo nos Estados Unidos, desde os anos 1940. Esses compostos são usados ​​principalmente em carpetes e estofados, entre outras tarefas semelhantes à construção. Já os plastificantes, segundo o estudo, provavelmente vieram de embalagens de alimentos e utensílios de plástico, juntamente com eletrodomésticos.

Tracey J. Woodruff, PhD, professora de obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas na UCSF, disse que é muito preocupante não conseguirem identificar os usos ou fontes de tantos desses produtos químicos e pede para as autoridades responsáveis que façam um trabalho melhor para exigir que a indústria química padronize seus relatórios de compostos químicos e usos, garantindo que as pessoas tenham informações adequadas para avaliar possíveis danos à saúde e removam produtos químicos do mercado que representam um risco.