Superação! Jovem que sobreviveu ao câncer será mulher mais nova a ir para o espaço

Hayley Arceneaux é a pessoa mais jovem a ir para o espaço e primeira mulher civil americana a embarcar em uma espaçonave

Resumo da Notícia

  • Hayley Arceneaux tem 29 anos e vai viajar para o espaço em outubro deste ano
  • Ela sobreviveu a um câncer ósseo e foi escolhida para participar desse projeto
  • Vai ser o primeiro voo espacial civil da história

Hayley Arceneaux , 29 anos, é sobrevivente de um câncer ósseo e vai fazer parte de uma missão, denominada Inspiration4  que estará em órbita no mês de outubro ainda deste ano. Esse vai ser o primeiro voo espacial civil da história, ele foi organizado por Jared Isaacman, um bilionário e filantropo estado-unidense e a ideia do programa é arrecadar fundos que serão destinados para pesquisas de combate ao câncer infantil.

-Publicidade-

Jared vai levar mais três pessoas com ele e Hayley foi a pessoa sorteada para ocupar esse lugar, já que os outros tinham sido oferecidos para profissionais da saúde que atuam na área de pesquisas contra o câncer. Além disso, ela representa a primeira mulher civil americana a embarcar em uma viagem para o espaço. Eles vão passar quatro dias orbitando a Terra.

Hayley agradeceu e se emocionou ao descobrir que iria na missão: “Muito grata e honrada por esta incrível oportunidade que só se apresenta uma vez na vida” Ela estará a bordo de uma nave da empresa Space X e vai representar o  St. Jude Children’s Research Hospital, a instituição de caridade, na qual ela foi internada quando criança ao ser diagnosticada com câncer e onde também foi tratada.

-Publicidade-
Hayley Arceneaux é a primeira mulher civil americana a viajar para o espaço (Foto: Reprodução/ Space X)

Ela também disse que:  “ela mal pode esperar para mostrar ao mundo o que os sobreviventes do câncer podem fazer”. E pediu para aqueles que puderem, doar para causas importantes, como é o caso do hospital em que ficou internada e que precisa arrecadar 200 milhões de dólares para tratar gratuitamente crianças com doenças graves como o câncer.