Sustentabilidade! Alunos brasileiros criam projeto de reflorestamento com drones

A ideia de juntar tecnologia com meio ambiente veio em 2019, quando as queimadas da Amazônia estavam em alta

Resumo da Notícia

  • Alunos brasileiros criam projeto de reflorestamento com drones
  • A ideia de juntar tecnologia com meio ambiente veio em 2019, quando as queimadas da Amazônia estavam em alta
  • Eles pretendem trabalhar para conseguirem criar um mundo mais sustentável para as próximas gerações

A importância das árvores são indiscutíveis, mas mantê-las em grandes cidades nem sempre é uma tarefa fácil. Foi pensando justamente nessa questão que os alunos Gustavo Pereira Donadon Dutra, Gabriel Vicente Fernandes e Gabriel Siqueira do Espirito Santo, todos de 16 anos, criaram um projeto novo de reflorestamento.

-Publicidade-

Os alunos da ETEC (Escola Técnica Estadual) Professor Armando José Farinazzo, de Fernandópolis, interior de São Paulo, criaram um projeto para reflorestamento de áreas desmatadas usando drones. A ideia será apresentada na Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), a partir de segunda-feira, 14 de março.

Alunos encontram forma de unir tecnologia com sustentabilidade em projeto
Alunos encontram forma de unir tecnologia com sustentabilidade em projeto (Foto: Getty Images)

O projeto tem como foco mostrar as soluções e os avanços para o setor florestal, de forma rápida, natural e também econômica, por meio de fertilizante orgânico e artesanal.

Em entrevista ao jornal R7, Gustavo Dutra contou que sempre amou robótica e aproveitou a oportunidade que surgiu na escola para testar o que sabe.  “Essa ideia de construção chamou a atenção do nosso grupo que já atuava com os drones em aula”, contou ele. E foi a partir daí que eles decidiram unir a tecnologia com a sustentabilidade.

“Nosso principal objetivo é reflorestar áreas degradadas, que não possuem vegetação. Queremos que o nosso projeto possa ser reconhecido e de alguma forma ajudar o meio ambiente e as futuras gerações”, ressaltaram eles, mostrando que já estão pensando no futuro.

O professor e orientador do projeto,  Gustavo Tadeu Moretti de Souza, contou que a ideia do projeto veio em 2019, quando o assunto estava em alta por conta das queimadas da Amazônia. “Naquela época, com o assunto em evidência, os alunos trouxeram a ideia de usar drones para o despejo de sementes”, relembrou.

Alunos brasileiros criam projeto de reflorestamento com drones
Alunos brasileiros criam projeto de reflorestamento com drones (Foto: reprodução R7)

Desde então, eles vêm trabalhando no projeto e buscando sempre melhorias. Os estudantes criaram cápsulas feitas de amido contendo terra e sementes, além do fertilizante NPK (Nitrogênio-N, Fósforo-P e Potássio-K), nutriente produzido artesanalmente pela equipe.  “Foram feitas muitas pesquisas e testes práticos justamente para saber se seria possível realizar o processo com o NPK caseiro dentro dessas cápsulas. Eles montaram a solução de forma simples, química e natural, com restos de comidas e cascas de ovos”, disse o professor.

No momento, o projeto já conta com patrocínio, mas está aberto para parcerias. “O investimento para criar o drone é alto. Em média, gastamos cerca de R$ 2 mil por conta das peças eletrônicas serem mais caras”, explicou Gustavo.