“Talvez seja necessário”, diz Ministro da Saúde sobre suspensão de aulas nas escolas

Luiz Henrique Mandetta e sua equipe estão discutindo sobre o fechamento das escolas brasileiras por conta do coronavírus

Resumo da Notícia

  • Ministro da Saúde faz pronunciamento em coletiva
  • Idosos e doentes crônicos são sempre os objetos principais de proteção em crises como essa, de acordo ele
  • A taxa de mortalidade do coronavírus no mundo é em média de 3,5%
No Brasil já foram quase 80 casos confirmados (Foto: Getty Images)

Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde, afirmou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 11 de março, estar debatendo com sua equipe sobre o fechamento das escolas por conta do coronavírus.

-Publicidade-

“Quando isso acontece (as escolas fecham), as crianças geralmente são deixadas com os avós e quem queremos proteger desse vírus são justamente os mais idosos. Então fechar as escolas colocaria um dilema. É possível? Sim. Talvez seja necessário em algum momento? Sim, mas quero lembrar sempre que os idosos e os doentes crônicos são objeto principal de proteção nessa crise”, explica o ministro.

Em vídeo publicado nesta quarta-feira, 11 de março, o ministro da educação, Abraham Weintraub, comentou o que pode ser feito caso tenha que fechar as escolas. Abraham disse que medidas já estão sendo tomadas.

-Publicidade-

A informação do ministro veio no mesmo dia em que a Organização Mundial de Saúde declarou que o coronavírus pode ser classificado como pandemia. Por conta da decisão da OMS, Mandetta disse que qualquer pessoa que chegue ao Brasil de um voo internacional, independente do país de origem, e apresente sintomas similares ao do vírus, pode ser considerado um suspeito.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade do coronavírus no mundo é em média de 3,5%, sendo que a China registra 3,9%, a Europa 3,5% e o Sudeste Asiático 2,2%.

  • Como se prevenir

Os coronavírus são uma família de vírus conhecida há mais de 50 anos. Tem este nome porque parece uma coroa, se visto no microscópio. Algumas cepas infectam seres humanos, outras infectam somente animais. O novo vírus (2019-nCoV) provavelmente é uma mutação que não atingia humanos e, nos últimos meses, passou de um animal para uma pessoa em um mercado de frutos do mar e animais vivos na cidade de Wuhan, na China. Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-