Tamy Contro fala sobre criar a filha com Projota na pandemia: “Ela tem medo de pessoas”

A influenciadora contou que a bebê desenvolveu uma fobia social

Resumo da Notícia

  • Nesta sexta-feira, 20 de agosto, Tamy Contro usou as redes sociais para desabafar sobre a relação da filha com outras pessoas;
  • Marieva, fruto do casamento de Tamy com o rapper Projota, nasceu em meio à pandemia;
  • A influenciadora contou que a bebê desenvolveu uma fobia social.

Nesta sexta-feira, 20 de agosto, Tamy Contro usou as redes sociais para desabafar sobre a relação da filha com outras pessoas. Marieva, fruto do casamento de Tamy com o rapper Projota, nasceu em meio à pandemia.

-Publicidade-

A influenciadora contou que a bebê desenvolveu uma fobia social. “Marieva nasceu na semana que começou a quarentena no Brasil, e a gente seguiu com a quarentena durante todo esse tempo praticamente”, explicou.

“Foram pouquíssimas brechas que a gente deu e se permitiu viver algo que não seja ficar dentro de casa. Então, Marieva desenvolveu praticamente uma fobia social. Ela tem medo das pessoas, essa é a realidade”, contou.

Tamy Contro está no 7º mês de gestação (Foto: reprodução / Instagram @tamycontro)

A mãe contou que Marieva se sente desconfortável quando qualquer pessoa, que não é da família, chega perto dela. “Ela passou a vida inteira dentro de casa. O contato que ela teve com qualquer criança foi com os primos. Com adultos, que não seja eu ou Tiago [Projota], foram os tios e avós”, ponderou.

Em seguida, Tamy continuou: “São pessoas que estão sempre em contato com a gente. Qualquer outra pessoa que não seja essas que ela tem contato razoavelmente, ela se assusta muito e tem muito medo”, explica.

Ela ainda fez críticas: “Percebi como o adulto não respeita o espaço da criança. É praticamente uma ofensa para um adulto uma criança não gostar dele. Todo mundo tenta forçar, fazer de tudo para que ela goste, e ela não gosta. Não é como ‘ela não gosta da sua energia’, ela tem medo de você, ela tem medo de pessoas”.

Tamy Contro está no 7º mês de gestação (Foto: reprodução / Instagram @tamycontro)

Tâmara concluiu o desabafo afirmando que considera pedir ajuda a um especialista: “Hoje está sendo uma fase muito difícil tentar introduzi-la na sociedade. Estava até pensando em pedir ajuda para saber como lidar com isso porque é uma novidade. Nunca tive que passar por isso com qualquer criança da minha família”.

“Está sendo muito difícil essa questão de Marieva estar sendo criada dentro de uma casa todo esse tempo sem ir pra creche, pra escola, sem ter contato com outras pessoas”, finalizou.