Técnica de enfermagem cria sapato feito de gaze para aquecer pacientes de UTI

Flávia Fernanda Fernandes, de 32 anos, é técnica de enfermagem e atua em UTIs desde 2012. Foi nessa época que ela começou a fazer sapatos feitos de gaze para aquecer os pacientes e deixar recados com frases motivacionais para eles

Resumo da Notícia

  • Flávia Fernanda Fernandes, de 32 anos, é técnica de enfermagem e atua em UTIs desde 2012
  • Foi nessa época que ela começou a fazer sapatos feitos de gaze para aquecer os pacientes e deixar recados com frases motivacionais para eles
  • A atitude de Flávia viralizou nas redes sociais

Flávia Fernanda Fernandes, de 32 anos, é uma técnica de enfermagem que decidiu ajudar as pessoas que estão internadas e tornar o dia a dia delas menos árduo. Quando começou a trabalhar em Unidades de Tratamento Intensivo, ela percebeu que o ar condicionado incomodava diversos pacientes, que se queixavam do frio.

-Publicidade-

Foi aí que ela teve a ideia de amenizar essa sensação criando sapatos feitos de gaze, para que eles pudessem se esquentar e sentir menos frio nas extremidades. A ideia de Flávia deu certo e isso fez com que ela viralizasse após compartilhar o sapatinho que fez para uma paciente de 72 anos.

“Fiquei muito surpresa porque sempre fiz, nunca pensei em postar ou que iria gerar tanta repercussão. Estou muito feliz com as mensagens de carinho. Creio que pude tocar as pessoas e os profissionais para prestarmos uma assistência humanizada e de qualidade”, ela contou ao portal Universa.

Flávia criou sapatinhos de gaze para aquecer os pacientes da UTI (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)

As imagens repercutiram recentemente, mas Flávia diz que colocou a técnica em prática desde que começou a atuar na área, em 2012. “”No início eu apenas aquecia, mas comecei a observar que essa ação impactava nas pessoas. Notava isso até em pacientes acordados”.

Além dos sapatinhos de gaze, a técnica de enfermagem faz outras coisas que humanizam todo o processo da internação e tornam os dias na UTI mais tranquilos. Flávia coloca artes e recados com frases motivacionais nos sapatinhos para que os pacientes possam ver. “Pode parecer coisas rotineiras, mas fazem muita diferença para quem está em uma cama de hospital”.

“Coloco músicas nos banhos no leito quando o paciente está acordado; faço hidratação com massagem na pele, faço, corte de unha, faço barba. Já fiz até sobrancelha. São inúmeros, não tem como contabilizar. Os que estão acordado agradecem pelo atendimento e me abençoam”, ela conta sobre o carinho que recebe.